Quarta, 21 Maio 2014 14:30

Em 10 anos, Parajasc crescem em quantidade e qualidade Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(1 Voto)
Em 2005, na primeira edição, os Parajasc tiveram a participação de  mil atletas, em 2014 são 2.500 de  63 municípios Em 2005, na primeira edição, os Parajasc tiveram a participação de mil atletas, em 2014 são 2.500 de 63 municípios Foto: Epa Machado/Arquivo

Florianópolis - Criados em 2005 pela Fesporte com a finalidade de propiciar esporte para atletas portadores de necessidades especiais, os Jogos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), ao longo de 10 anos de existência, vêm se consolidando como um dos eventos esportivos mais significativos do Estado. O tempo mostra que o evento cresceu em quantidade e qualidade. Na primeira edição, na mesma Chapecó desse ano, eram 1.000 atletas de 42 municípios e agora, em 2014, novamente na principal cidade do Oeste, são 2.500 atletas de 63 cidades.

“Alem disso, em 2005, na primeira edição, tínhamos sete modalidades, agora, são onze”, explica João Cascaes, coordenador-técnico da competição. No período de 26 a 31 deste mês, Chapecó recebe atletas com deficiência auditiva (DA), física (DF), visual (DV) e intelectual (DI) disputando as modalidades de atletismo, natação, tênis de mesa, xadrez, futsal, ciclismo, goalball, handebol em cadeira de rodas, natação, basquete para cadeirantes e bocha paralímpica. 

Para justificar a tese da melhoria da qualidade dos jogos, Cascaes enfatiza que os Parajasc já revelaram grandes valores do paradesporto catarinense. “Temos cinco atletas que foram revelados nos Parajasc que já disputaram competições internacionais como campeonatos mundiais, Paralimpíadas, Parapan e Copa América. Um destes é o Matheus Rheine de Souza, nadador de Brusque, que participou das últimas Paralimpíadas de Londres, em 2012”, diz Cascaes.

Erivaldo Caetano Junior, o Vadinho, presidente da Fesporte, acredita que o sucesso do evento é o resultado da integração e da parceria entre Fesporte, municípios, Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e as federações de todos os segmentos de deficiência, além dos atletas participantes, funcionários da Fesporte e integradores esportivos.

Marcelo Kowalski, coordenador-geral dos Parajasc e diretor de esportes da Fesporte, defende que a competição tem uma importância singular, pois “é um evento dedicado à pessoas especiais, que dedicam a vida aos ideais”. Os Parajasc, destaca Marcelo, “visam a construir uma sociedade solidária, sem preconceitos, que respeita e valoriza as diferenças e que seja capaz de propiciar a todos os cidadãos e cidadãs o desenvolvimento pleno de suas potencialidades”. 

Mais Informações

Antonio Prado

(48) 9696-3045

Lido 1830 vezes Última modificação em Quarta, 21 Maio 2014 18:33