Publicado em Moleque
Escrito por

Renatinho: Personagem do Moleque Bom de Bola 2019

Em novembro de 2019 a etapa estadual da 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, foi disputada em Antônio Carlos. Apesar de ficar na competição em sexto lugar pelo Colégio Recriate, de Camboriú, o pequenino José Renatho da Silva Barros, o Renatinho, com seus 11 anos de idade e 1,35m de altura, foi um dos grandes personagens do torneio. Vamos relembrar esta matéria como forma de sempre valorizar o verdadeiro artista do espetáculo: o atleta.

Renatho: um gigante na bola e nos sonhos

Na história do futebol, muitos baixinhos tiveram carreira de sucesso, a exemplo de Romário, cujo carinhoso apelido remetia-se à sua baixa estatura em contraste com o grande futebol que apresentava. E no Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, não poderia ser diferente, já que a competição envolve crianças de 11 a 14 anos. E nesta 28ª edição do evento, falar de baixinho bom de bola é remeter-se ao paraibano de Cabedeu José Renatho da Silva Barros. Com seus 11 anos de idade e 1,35m de altura, Renatinho, como é chamado pelos amigos. É capaz de deixar boquiabertos os adversários menos crédulos.

Renatinho é daqueles jogadores que incendeiam o setor do campo onde atuam. Lateral direito com fácil apoio no ataque, ele traz ao presente a imagem e o estilo dos antigos pontas. Há sete anos morando em Camboriú e três estudando no Colégio Recriarte, Renatinho vem ganhando espaço no time entre os mais velhos, depois de conquistar o vice-campeonato da Ibercup, evento internacional de futebol infantil, que aconteceu em janeiro deste ano, em Porto Alegre.

Renatho se diz feliz em participar pela primeira vez de um evento que já revelou grandes nomes, como Felipe Luís, André Santos, Eduardo Costa, Marquinhos Santos e Ketlen Wiggers. “Se eu puder, virei sempre. É uma oportunidade que não posso perder”, disse o jovem jogador, confessando-se um fominha de bola, não por prendê-la demais, até porque constantemente tabela com os companheiros, mas porque treina e joga todos os dias, além de praticar natação duas vezes por semana.

O jovem lateral conta que sente orgulho por contar com o apoio da família, que o acompanha em quase todos os jogos. Seu maior sonho é chegar ao profissional por qualquer clube: “mas, se pudesse escolher, escolheria o Real Madrid”, disse ele.

Texto: Heron Queiroz Ascom

 

Publicado em Moleque
Escrito por

O dia em que escolas festejaram o título do Moleque Bom de Bola

Nesta segunda-feira, 27, é dia de relembrar o maior momento da 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, em Antônio Carlos. Naquele domingo, dia 3 de novembro, a escola Lourdes Lago, de Chapecó, e o Colégio Incentivo, de Biguaçu, ficaram com os títulos feminino e masculino, respectivamente.

Naquela ocasião não era a primeira vez que as duas equipes subiam ao primeiro lugar do pódio na mesma edição.Em 2016, em São Ludgero, as duas equipes também levantaram o caneco, mas, coincidentemente, de lá para cá, nenhuma delas havia conquistado título.

A final feminina foi uma reedição daquela final de 2016, com as duas equipes do Oeste. Seria a chance de a Escola Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, conquistar o tricampeonato e dar o troco na forte adversária, a Escola Lourdes Lago. O time concordiense criou oportunidades, mas o ataque parava nas mãos da boa goleira Leilane. O empate sem gols levou a decisão para os pênaltis, que resultou em 5 a 4 para as meninas do “Lurdão”, que levaram o título para Chapecó.

No masculino, os garotos do Colégio Incentivo chegaram ao terceiro título da competição, de um total de seis finais. Tiveram pela frente um adversário duro, surpresa da competição, a Escola Alice da Silva Gomes, de São João Batista, que pela primeira vez chegou a uma etapa estadual do Moleque Bom de Bola, e fez bonito, chegando à final. O jogo estava empatado em 1 a 1. Quando tudo parecia levar a mais uma disputa por pênaltis, mas o Incentivo mostrou superioridade e venceu a partida por 3 a 1.

Cerca de 600 atletas de 32 escolas (16 de cada gênero) estiveram em Antônio Carlos, desde o dia 30 de outubro, para o Moleque Bom de Bola. O evento foi promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Três anos depois, Chapecó e Biguaçu voltam a ter título

A escola Lourdes Lago, de Chapecó, e o Colégio Incentivo, ficaram com os títulos feminino e masculino, respectivamente, da 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, em Antônio Carlos. Essa não é a primeira vez que as duas equipes sobem ao primeiro lugar do pódio na mesma edição. Em 2016, em São Ludgero, as duas equipes também levantaram o caneco, mas, coincidentemente, de lá para cá, nenhuma delas havia conquistado título.

A final feminina foi uma reedição daquela final de 2016, com as duas equipes do Oeste. Seria a chance de a Escola Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, conquistar o tricampeonato e dar o troco na forte adversária, a Escola Lourdes Lago. O time concordiense criou oportunidades, mas o ataque parava nas mãos da boa goleira Leilane. O empate sem gols levou a decisão para os pênaltis, que resultou em 5 a 4 para as meninas do “Lurdão”, que levaram o título para Chapecó.

A Escola Lourdes Lago, que conquistou seu segundo título, jogou com Ana Paula Belle, Clara Luiza Santini, Eduarda Baldissera, Eduarda Vargas, Érica Vaz, Isabel de Assis, Jessica Ruaro, Julia Caroline Buratti, Laura Gomes, Laura Vitoria Almeida, Leilane Soares, Leticia Rigo, Leticia Schneider, Milena Pereira, Sarah Damasceno, Tauane Schuquel ,Tayná Maldonado, Thais Neitzel. Técnico: Prof. João Romeu.

Meninas do Lourdes Lago, de Chapecó, comemoram segundo título no Moleque Bom de Bola                                                                Foto: Heron Queiroz

No masculino, os garotos do Colégio Incentivo chegaram ao terceiro título da competição, de um total de seis finais. Tiveram pela frente um adversário duro, surpresa da competição, a Escola Alice da Silva Gomes, de São João Batista, que pela primeira vez chegou a uma etapa estadual do Moleque Bom de Bola, e fez bonito, chegando à final. O jogo estava empatado em 1 a 1. Quando tudo parecia levar a mais uma disputa por pênaltis, o Incentivo mostrou superioridade e venceu a partida por 3 a 1.

Foram campeões pelo Colégio Incentivo: Alan Ramos, Bernardo Coutinho, Célio Marcelino Junior, Diogo Sbaraini, Erick de Oliveira, Filipi da Silva, Gabriel Coelho, Gabriel da Silva, Gabriel da Silva, Guilherme Padilha, Jefferson Mendes, Jhonatan dos  Santos, Leandro Nunes, Luiz Fernando Pinheiro, Matheus dos Santos, Nicolas Marcelino, Paulo Martins, Samuel do Nascimento. Técnico: Prof Paulo Ricardo De Farias.

Os representantes de Criciúma ficaram na terceira posição no feminino e no masculino. No feminino, a Escola Joaquim Ramos venceu a Escola São João Batista, de São Miguel do Oeste, por 3 a 0. Já no masculino, a Escola Padre Paulo Petruzzellis aplicou 2 a 1 no Colégio Catarinense, de Florianópolis. 

Cerca de 600 atletas de 32 escolas (16 de cada gênero) estiveram em Antônio Carlos, desde o dia 30 de outubro, para a 28ª edição do Moleque Bom de Bola. O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Quatro equipes brigam por troféus do Moleque

Moleque Bom de Bola: deu Vidal e Lurdão numa final; Incentivo e Alice na outra.

O Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, chega neste domingo (3) ao momento decisivo. Quatro equipes, duas no masculino e duas no feminino, brigam pelos troféus de campeão da 28ª edição do evento. No feminino, as escolas Lourdes Lago, de Chapecó, e Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, decidem o título. No masculino, a disputa ficou com o Colégio Incentivo, de Biguaçu, e a Escola Alice da Silva Gomes, de São João Batista.

 

Confira os resultados das semifinais

As decisões de título acontecem no estádio do SE Estrela Azul, a feminina às 9h e a masculina às 10h. Outras quatro equipes também duelam, neste caso pela terceira posição. Os jogos acontecem no estádio da SER Bonsucesso, nos mesmos horários das finais.

A programação e resultados são publicados em boletins diários no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Moleque Bom de Bola: a disputa agora é nas semifinais

Quatro equipes femininas e outras quatro masculinas passaram para a fase semifinal do 28º Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, Moleque Bom de Bola, em Antônio Carlos, na Grande Florianópolis. Com um tempo instável e os campos encharcados, oito jogos cumpriram a programação das quartas de final na manhã deste sábado (2).

Destaque da rodada para os três gols marcados por Júlia Mocelin, que fez três dos cinco gols na vitória da Escola Vidal Ramos Júnior sobre a Escola Frei Manoel Phillippi. Se as bicampeãs conseguiram confirmar a passagem para as semifinais, em busca de mais um título, o mesmo não aconteceu com os pentacampeões do Colégio Recriarte (Camboriú), que perdeu por 3 a 2 para o Catarinense (Florianópolis).

 

Confira os resultados desta manhã e os classificados para as semifinais.

Os vencedores não terão muito tempo para descansar, pois as semifinais acontecerão ainda na tarde deste sábado. Às 15h, pelo feminino. A Escola São João Batista (São Miguel do Oeste) enfrenta a Lourdes Lago (Chapecó), e as escolas Vidal Ramos Júnior (Concórdia) e Joaquim Ramos (Criciúma) fazem a outra semifinal. No masculino, às 16h, o Colégio Catarinense (Florianópolis) joga contra o Incentivo (Biguaçu), e a Escola Alice da Silva Gomes (São João Batista) enfrenta Pe. Paulo Pretruzzellis (Criciúma).

A programação e resultados são publicados em boletins diários no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Definidos os classificados para as quartas do Moleque

Encerrada a etapa classificatória da 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, nesta sexta-feira (1), na cidade de Antônio Carlos, na Grande Florianópolis. 

Oito das 16 equipes de cada categoria, masculina e feminina, avançam para as quartas de final, que acontece na manhã de sábado (2). Definidos os classificados, confira os confrontos:

E a garotada não vai ter muito descanso, porque quem vencer volta à campo na tarde deste mesmo sábado, para os jogos que definirão os finalistas de domingo. Os confrontos das semifinais e das finais terão transmissão ao vivo pela página da Fesporte no Facebook.

A programação e resultados são publicados em boletins diários no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Renatho: um gigante na bola e nos sonhos

Na história do futebol, muitos baixinhos tiveram carreira de sucesso, a exemplo de Romário, cujo carinhoso apelido remetia-se à sua baixa estatura em contraste com o grande futebol que apresentava. E no Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, não poderia ser diferente, já que a competição envolve crianças de 11 a 14 anos. E nesta 28ª edição do evento, falar de baixinho bom de bola é remeter-se ao paraibano de Cabedeu José Renatho da Silva Barros. Com seus 11 anos de idade e 1,35m de altura, Renatinho, como é chamado pelos amigos. É capaz de deixar boquiabertos os adversários menos crédulos.

Renatinho é daqueles jogadores que incendeiam o setor do campo onde atuam. Lateral direito com fácil apoio no ataque, ele traz ao presente a imagem e o estilo dos antigos pontas. Há sete anos morando em Camboriú e três estudando no Colégio Recriarte, Renatinho vem ganhando espaço no time entre os mais velhos, depois de conquistar o vice-campeonato da Ibercup, evento internacional de futebol infantil, que aconteceu em janeiro deste ano, em Porto Alegre.

Renatho se diz feliz em participar pela primeira vez de um evento que já revelou grandes nomes, como Felipe Luís, André Santos, Eduardo Costa, Marquinhos Santos e Ketlen Wiggers. “Se eu puder, virei sempre. É uma oportunidade que não posso perder”, disse o jovem jogador, confessando-se um fominha de bola, não por prendê-la demais, até porque constantemente tabela com os companheiros, mas porque treina e joga todos os dias, além de praticar natação duas vezes por semana.

O jovem lateral conta que sente orgulho por contar com o apoio da família, que o acompanha em quase todos os jogos. Seu maior sonho é chegar ao profissional por qualquer clube: “mas, se pudesse escolher, escolheria o Real Madrid”, disse ele. 

Com cinco títulos na história do Moleque Bom de Bola, o time do Recriarte, da diretora Rita Servelin, busca o sexto título. Considerando a estreita faixa etária de participação, o técnico da equipe, professor Gilvan Meireles, deu a receita para manter o time competitivo por tantos anos seguidos. “Usamos um ciclo de trocas usando os mais novos, integrando-os aos treinamentos, obediência tática e entendimento do jogo. Neste ano, estamos usando oito atletas abaixo do limite máximo, quatro de onze anos, dói de doze e três de treze, isso porque, além da troca natural, afastamos quatro atletas por indisciplina. Nosso colégio sempre cobra disciplina.

O Colégio Recriarte venceu a Escola José Marcolino Eckert, de Pinhalzinho, por 2 a 0 e lidera a chave A, com quatro pontos. Na sexta-feira (1), acontece a última rodada da primeira fase, da qual se classificam dois times por chave para as quartas de final, que ocorrem no sábado pela manhã.

A programação e resultados são publicados em boletins diários no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Abertura do Moleque aconteceu no Ginásio Verde Vale

O tempo chuvoso da manhã desta quinta-feira (31) fez transferir a abertura oficial do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, o Moleque Bom de Bola, prevista inicialmente para o Estádio da Sociedade Esportiva Estrela Azul, para o Ginásio Municipal de Esporte Verde Vale. 

Atletas, técnicos, dirigentes e autoridades estaduais e municipais, entre elas, o presidente da Fesporte, Rui Godinho, e o Prefeito de Antônio Carlos, Geraldo Pauli, estiveram presentes à solenidade. 

Godinho deu as boas-vindas aos atletas e apresentou uma novidade que deixou os atletas bastante motivados. Trata-se do projeto de criação da categoria de 15 a 17 anos do Moleque Bom de Bola, já para 2020. “Nós não tínhamos a continuidade para a faixa de 15 a 17. Está em fase ainda embrionária, mas queria antecipar que nós temos interesse nisso, já conversamos com pessoas que podem nos auxiliar, para que aconteça já no próximo ano a participação de atletas de 15 a 17 anos, ampliando as oportunidades a atletas em idade escolar”, esclareceu Godinho.

A condução da tocha e acendimento da pira coube a um ex-atleta do Moleque Bom de Bola, o goleiro Flávio Kretzer, que passou pelas categorias de base do Avaí, clube pelo qual se profissionalizou em 1999. No auge da carreira, em 2003, foi para o São Pulo FC, no qual permaneceu até 2005, período em que conquistou os títulos de campeão paulista, da Libertadores e mundial, pelo tricolor paulista. Natural de Antônio Carlos, aos 40 anos de idade, Flávio é dirigente da Sociedade Esportiva Estrela Azul.

Goleiro campeão do mundo e da Libertadores, pelo São Paulo, Flávio Kretzer iniciou no Moleque Bom de Bola                   (Foto: Heron Queiroz)

O juramento foi pronunciado pelo atleta Sálvio José Rodrigues Neto, da Escola de Educação Básica Altamiro Guimarães, de Antônio Carlos, que volta a entrar em campo nesta tarde. A segunda das três rodadas da primeira fase teve início às 10h desta quinta. Na sexta (1), definem-se os dois classificados para as quartas de final, que acontece no sábado (2). As finais estão programadas para a manhã de domingo (3).

A programação e resultados são publicados em boletins diários no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da esporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Primeira rodada antecede abertura oficial do Moleque

A primeira rodada do Moleque Bom de Bola, que aconteceu nesta quarta (30) antecipou abertura oficial do evento, que acontece na manhã de quinta (31).

Dezesseis jogos movimentaram a primeira rodada da 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol (Moleque Bom de Bola), no município de Antônio Carlos. Cerca de 600 atletas de 32 escolas (16 de cada gênero) deram início à disputa por troféus de campeão, na versão masculina e na feminina.

Destaques da primeira rodada, no feminino, para a vitória da Escola Lourdes Lago, de Chapecó, por 6 a 1, sobre a Escola Frei Manoel Felipe, de Imbuia; e para a equipe campeã em 2018, Escola Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, que venceu a Escola Hélio Wasum, de Sul Brasil, por 2 a 0. A outra representante de Concórdia, Escola Nações, perdeu para a Escola Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, por 7 a 0.

Já no masculino, a escola campeã de 2018, Colégio Recriarte, de Camboriú, ficou no empate em 1 a 1 com a Escola Frei Manoel Felipe, de Imbuia. A equipe da casa, Escola Altamiro Guimarães também empatou em um gol com a Escola Alice Gomes da Silva, de São João Batista.E o Colégio Catarinense, de Florianópolis, aplicou 3 a 0 na escola Maria José Duarte, de Campo Alegre. Resultados e programação serão diariamente publicados no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar).

As competições já começaram nesta quarta, mas amanhã, dia 31, acontece a abertura oficial do evento, a partir das 8h30min, no Estádio da Sociedade Esportiva Estrela Azul, no centro de Antônio Carlos. A primeira fase acontece até sexta-feira (1). Classificam-se dois de cada chave para as quartas de final, que acontecem no sábado (2) pela manhã, e, na tarde do mesmo dia, ocorrem as semifinais. A emoção maior está reservada para a manhã de domingo (3), quando as equipes se encontram na disputa do terceiro e de campeão, no masculino e no feminino.

O Moleque Bom de Bola é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

28ª edição do Moleque inicia quinta em Antônio Carlos

Cerca de 600 atletas e professores estarão no município de Antônio Carlos, na Grande Florianópolis, para a 28ª edição do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol, mais conhecido popularmente como Moleque Bom de Bola. As competições acontecem nas versões masculina e feminina, totalizando 32 equipes (16 de cada gênero), classificadas para a etapa estadual, tendo passado pelas etapas microrregional e seletiva. São 30 escolas envolvidas, representantes de 28 municípios.

O Moleque Bom de Bola foi criado em 1992, ainda pela antiga Diretoria de Desportos (Dide), da Secretaria de Estado da Educação. Em 1993, com a criação da Fundação Catarinense de Esporte, o evento passou a ter um novo gestor. Nomes como Ketlen Wiggers, Felipe Luís, André Santos, Eduardo Costa e Marquinhos Santos foram revelados nos campos catarinenses onde se disputou um dos maiores eventos de futebol infantil do país.

Em 2018, na cidade de Quilombo, no Oeste catarinense, os campeões foram o Colégio Recriarte, de Camboriú, que passou a somar cinco títulos no masculino, e a Escolar Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, tendo conquistado o segundo título.

A abertura da 28ª edição do Moleque Bom de Bola acontecerá na quinta-feira (31), a partir das 8h30min, no Estádio do SE Estrela Azul, um dos quatro palcos das disputas em Antônio Carlos.

 

Saiba quais são os locais de competição

Estádio SE Estrela Azul: Av. João Frederico Martendal – Centro  

SER Bonsucesso: Estrada Antônio José Zimmermann, 5561 – Bairro Louro

Rachadel Futebol Clube: Estrada Pedro Gerônimo Guesser – Bairro Rachadel 

SERC Santa Maria: Estrada Antônio Pedro Scherer – Bairro Santa Maria 

 

A primeira rodada está programada para as 10 horas do dia 31. A primeira fase acontecerá em três rodadas com jogos diários. No sábado (2), acontecem as quartas de final, pela manhã, e as semifinais (à tarde). Diariamente serão publicados boletins no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar).

Programação

30/10: 8h – reunião técnica com a participação de todos os professores/técnicos, entrega dos materiais e informações gerais sobre o evento. Local: auditório da prefeitura 

           10h – início da primeira rodada

31/10: 8h30 – cerimonial de abertura

            10h – início da segunda rodada

01/11: início da terceira rodada 

02/11: quartas de final – período matutino 

            semifinais – período vespertino 

03/11: finais – disputa de 3º e de 1º 

O Campeonato Catarinense Escolar de Futebol é um evento promovido pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com o Município de Antônio Carlos.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Três Barras define campeões do Moleque Bom de Bola

Dezoito das 36 sedes microrregionais do Campeonato Catarinense Escolar de Futebol (Moleque Bom de Bola) já definiram as equipes representantes das instituições escolares que participarão da etapa seletiva.

Na tarde desta quarta-feira, 5, a sede de Três Barras, na microrregião de Canoinhas, as escolas Guilherme Bossow, de Irineópolis (no feminino), e Terezinha Correa Agostinho, de Bela Vista do Toldo (no masculino), garantiram vaga para a etapa seletiva. Oito escolas de cinco municípios da microrregião participaram da competição, entre os dias 2 e 4 de setembro.

Até 12 de outubro, a etapa microrregional deverá estar totalmente concluída, e antes disso, algumas mesorregiões já terão definidos os classificados das seletivas, que já começam a acontecer a partir de 24 de setembro e se estende até 21 de outubro, quando acontece o último dos 12 eventos dessa etapa, que envolve os classificados das sedes de Pinhalzinho, Cordilheira Alta e São Carlos. A etapa seletiva é classificatória para a estadual, que acontece de 29 de outubro a 3 de novembro no município de Antônio Carlos.

O Campeonato Catarinense Escolar de Futebol é promovido pelo Governo de Santa Catarina (@governosc) e realizado por intermédio da Fesporte, em parceria com os municípios-sede.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Publicado em Moleque
Escrito por

Júlia Mocelin dos Santos: começo de uma trajetória promissora

Ao completar 12 anos de idade, Júlia Mocelin dos Santos estreou este ano nos eventos da Fesporte e já é um dos destaques do futsal e do futebol da Escola Vidal Ramos Júnior, de Concórdia, conquistando o título do Moleque Bom de Bola feminino de 2018, no mesmo ano em que conquistou o futsal dos Jogos Escolares de Santa Catarina na faixa de 12 a 14 anos (Jesc 12-14), que garantiu a participação nos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), em Natal/RN, neste mês de novembro. 

Júlia começou a jogar futebol aos seis anos, brincando com os meninos do bairro, já que não havia time feminino. Ela se inspira no primo, João Ricardo, hoje goleiro do América MG, mas diferente deste, a menina gosta de atacar e fazer gols, sacudindo ao vento seus cabelos cheios e encaracolados. Apesar de estar entre as mais jovens do time, Júlia tem muita personalidade, e sua determinação a levou a ser o principal nome na conquista do Moleque Bom de Bola, fazendo os gols da vitória por 2 a 0 sobre Escola Pe. Mathias Mª Stein, de Guaramirim.

Num dos primeiros ataques da equipe concordiense na partida, Maiara Niehues sofreu falta pela esquerda de ataque, quase na linha de fundo. Sob os olhos da mãe, Jociane Mocelin, e do padrasto Joenir Sordi, a camisa 11, chegou correndo desde a direita, mexendo a cabeleira. Chamou a responsabilidade e ajeitou a bola. “Bate direto, filha”, gritou a mãe. A bola fez uma curva e passou muito perto do ângulo direito da goleira, liberando o habitual “uuuuh” da torcida. A bola não entrou, mas Júlia mostrou às adversárias por que estava ali.

Cinco minutos depois, viria uma chance ainda melhor. Em mais um lance provocado pela amiga, e como ela mesma considera, uma irmã, Maiara sofreu pênalti. Júlia bateu com segurança, bola rasteira, no cantinho, deixando a goleira inerte e balançando a rede pela primeira vez no jogo. “Te amo, filha!”, gritou Jociane. Júlia, comemorando, virou para o alambrado e apontou para a mãe, como se dissesse: “Esse é pra ti, mãe!”.

Faltavam cinco minutos para o fim da partida, quando um lançamento deixou Júlia na cara do gol. Com a mesma calma e competência, a atacante não desperdiçou a chance e confirmou a vitória e o título de bicampeã para a Escola Vidal Ramos Júnior. E lá de longe, do outro lado do campo, mais uma vez, ela aponta para a mãe.

Segundo gol de Júlia consolida a vitória e a conquista do título (Foto: Heron Queiroz)

 

“Sempre incentivei, desde quando ela começou a jogar. O que importa é a felicidade dessas meninas e poder estar praticando esporte, sem deixar de conciliar com os estudos”, destacou Jociane. “Não sei se será a profissão dela, mas vou apoiar sempre”, completou ela, com sorriso transbordando orgulho e felicidade.

Júlia (azul) ao lado da amiga Maiara, com a mãe Jociane Mocelin e o padrasto Joenir Sordi (Foto: Heron Queiroz)

 

“Foi um ano muito bom pra mim. É minha primeira participação no Moleque Bom de Bola. Ganhei também os Jesc recentemente. Dedico essa conquista a todos, a Concórdia e, em especial, à minha mãe”, falou emocionada a atleta, que ainda recebeu o troféu de atleta destaque.

Júlia tem como sonho vestir a camisa verde-amarela. E, convenhamos, pela bola que está jogando e com passadas rápidas de atacante, a seleção fica logo ali, ao menos nas categorias de base, para começar. 

  

Texto: Heron Queiroz

 

Assessoria de Comunicação - Fesporte 

 

 

www.fesporte.sc.gov.br

https://www.facebook.com/fesporte

 

Pagina 1 de 12