Sábado, 22 Julho 2023 22:00

Andreia, a árbitra pioneira, visita Curitibanos nos Joguinhos Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Pioneira na arbitragem veio a Curitibanos e curtiu alguns jogos Pioneira na arbitragem veio a Curitibanos e curtiu alguns jogos Enio Novaes (Ascom/Fesporte)

A grande maioria dos brasileiros se passarem ao lado de Andreia Regina da Silva, certamente não irão saber o que ela faz ou qual a sua aproximação com o esporte e nem a relação dela com o basquete. Pois ela esteve na cidade de Curitibanos, durante os Joguinhos Abertos de Santa Catarina, para uma visita a alguns amigos e acabou sendo descoberta. Hoje Andreia é reconhecida como a primeira mulher a apitar um jogo de basquete masculino em uma Olimpíada. Foi na partida entre Estados Unidos e Irã, em Tóquio 2020, vencida pela equipe norte-americana por 120 a 66.

“Foi um dia inesquecível. Quando a escala do jogo saiu e vi o meu nome para trabalhar no jogo masculino não consegui conter a minha alegria. Ali eu sabia que seria algo marcante para a minha carreira. Foi a confirmação que poderia trabalhar não só em jogos do feminino, mas também no masculino”, lembrou. Andreia é paulista de Bauru (SP), e nos últimos anos ela vem alcançando marcas importantes no basquete mundial.

Em 2018, foi a primeira mulher a conseguir a licença black da Fiba (Federação Internacional de Basquete), o que permite ser árbitra em qualquer jogo, tanto no masculino quanto em torneios femininos. “Mas quero ir muito mais além. Meu foco não é ultrapassar barreira ou quebrar recordes. Sei que trabalhando com determinação as coisas acontecem naturalmente. Quero continuar trabalhando sério, fazendo aquilo que eu amo: o basquete”, completou a árbitra.

Lido 681 vezes Última modificação em Sábado, 22 Julho 2023 22:30