Prado

Um raro registro do fotógrafo Mauricio Vieira, da Secom/GovernoSC realizado dia 3 de novembro. O exato momento que cai um raio quando a arbitragem do punhobol dos Jasc chamava os capitães de Florianópolis e São Bento do Sul e comunicava o adiamento da decisão para o próximo dia devido a tempestade que se anunciava. No dia seguinte a partida continuou com a Vitória de Florianópolis por 3 a 1.

"Eu fotografava o jogo e já estava bastante escuro, então resolvi usar o flash. O raio caiu no mesmo momento do disparo do flash e nem percebi na hora que tinha captado a cena. Até os atletas se assustaram com a luz inesperada pensando vir da minha câmera fotográfica", revela o fotojornalista Maurício Vieira, da Secom GovernoSC, que trabalha na cobertura dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) em Indaial, Pomerode e Timbó. "Só três dias depois, revisando as fotos no computador, percebi que tinha fotografado o raio", finalizou Maurício. O 'O flash de Deus', no céu de Pomerode, onde a partida se realizava, surpreendeu a todos.

O que dizer de uma competição que em suas disputas há oito atletas que até pouco tempo estavam na seleção brasileira? Top, né verdade! Pois bem, assim é a ginástica rítmica dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) que está sendo disputada em Timbó. No time selecionáveis há atletas com passagem em olimpíada, como a timboense Jéssica Maier, que disputa por Blumenau, e que esteve na Olimpíada 2016 no Rio e tem no currículo  três medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos 2015 no Canadá.

Em 2018 Jéssica ganhou o Prêmio Brasil Olímpico, outorgado pelo Comitê Olímpico do Brasil para a melhor ginasta do país. 

Além de Jéssica a ginástica rítmica dos Jasc conta com o talento de Mariany  Miyamoto, de Joinville, eleita pelos jornalistas que cobriram a competição  a atleta destaque dos Jasc 2018.

Também no time de ex-seleção há as blumenauenses Ana Carolina Sandrini Souza, Amanda Pfleger e Alessandra Correia,  as florianopolitanas Letícia Dutra e Nicole de Abreu e Isabela Henao, de Joinville.

“É a competição mais importante do calendário esportivo de Santa Catarina, pelo fato de muitos terem passado pela seleção brasileira o nível técnico é muito alto”, atesta Mariany  Miyamoto. 

“Nosso nível técnico é excepcional. Muitas atletas de nível de seleção brasileira, que participam de campeonato sul-americano, brasileiro. Por isso o nível técnico da ginástica dos Jasc é incalculável”, finaliza Jocélia Gonçalves, presidente da Federação Catarinense de ginástica.

A ginástica que começou na quinta-feira termina neste sábado à tarde com as disputas dos conjuntos.

Os resultados e programação dos Jogos Abertos de Santa Catarina podem ser acompanhados pelos boletins publicados diariamente no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). Os Jasc são promovidos pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizados por intermédio da Fesporte, em parceria com os Municípios de Indaial, Timbó e Pomerode.

Texto: Antonio Prado/Ascom/Fesporte    

 

Deu a lógica. Rodrigo Pereira do Nascimento e Anne Caroline  de Basi, ambos representando Timbó, se consagraram nesta quinta-feira, 7, os atletas mais rápidos da 59ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) ao vencerem a prova dos 100 metros. 

Rodrigo Cravou 10s22 e repetiu o recorde do ano passado estabelecido por ele mesmo. Willian Sérgio de Campos da Silva, de São José, cruzou a linha de chegada em segundo com o tempo de 10s42 e Jonatan Chaves Rodrigues, também de São José, ficou com a medalha de prata com o tempo de 10s43.

 Anny de Basi estabeleceu a marca de 11s58 em primeiro lugar seguida de Gabriela Aline Grunow, de Blumenau, com 11s85, que ficou com a medalha de prata e Caroline de Melo Tomaz, de São José, ficou com a medalha de bronze ao cravar 11s97.

“Gostei da prova, gostei da minha marca, foi uma prova muito boa de correr, disse Anny”. Perguntada onde ia parar, já que venceu a prova quatro vezes consecutivas, Anny foi enfática: “Quero parar nas olimpíadas”, disse, com convicção.

Rodrigo, por sua vez, disse estar muito feliz em poder voltar ao seu estado. “Sou natural de Itajaí e estou há dois anos em São Paulo, na Orcampi, e é sempre bom voltar a competir aqui”, disse o medalhista, que é o atual campeão sul-americano, pan-americano e mundial do revezamento 4x100 e espera conseguir índice para as Olimpíadas de Tokio.

Anny de Basi vence a prova dos 100m pelo 4º ano consecutivo e é a mais rápida dos Jasc (Foto: Maurício Vieira/Secom SC)

Assim como Rodrigo, Anny de Basi também é campeã sul-americana no revezamento 4x100, titulo conquistado em maio em Lima, no Peru. Além dela ser campeã nas pistas é também uma campeã na vida, já que nasceu com uma deficiência física denominada de Síndrome de Poland, que lhe atrofiou o músculo peitoral e do braço direito (este mais curto e mais fino) fazendo com que tenha apenas um dedo na mão direita.

Por isso, o feito de Anny, ser atleta mais veloz dos Jasc, torna-se mais extraordinário, já que compete com adversárias que não tem deficiência física.

Um dos pontos altos do dia foi a participação de Alessandra Picagevicz, 35 anos, na prova dos 5 mil metros da marcha atlética, prova em que é recordista dos Jasc, feito realizado na edição de Brusque, em 2010 com o tempo de 23min46s67. Ela já havia parado com o atletismo e só voltou para se despedir dos Jasc em Timbó, sua terra natal. Fechou sua participação em quarto lugar com o tempo de 27min4s59. A vencedora da prova, Mayara Luize Vicentainer, de Timbó, fez o percurso em 24min10s1. 

O atletismo prossegue nesta sexta-feira, 8, e finaliza no sábado, 9, na pista de Jaraguá do Sul. Os resultados e programação dos Jogos Abertos de Santa Catarina podem ser acompanhados pelos boletins publicados diariamente no site oficial da Fesporte (clique aqui para acessar). Os Jasc são promovidos pelo Governo de Santa Catarina – @governosc – e realizados por intermédio da Fesporte, em parceria com os Municípios de Indaial, Timbó e Pomerode.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

 

Foram necessários 29 anos para que Blumenau voltasse a levantar o troféu de campeão de futsal dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc). E essa tão sonhada conquista veio de forma dramática com direito de empate sofrido pelos blumenauenses ao zerar do cronômetro, sendo obrigados a disputar uma prorrogação para poder soltar o grito da garganta de “É, campeão!”

A partida, realizada nesta quarta-feira 6, no ginásio do parque de Eventos, em Pomerode, já começou difícil para Blumenau quando viu Lucas fazer 1x0 para Tubarão. Daí por diante o time martelava, martelava, mas o gol não saía. Até que Rafinha deixou tudo igual: 1x 1.

Se o primeiro tempo foi um jogo de xadrez, em que nenhuma das equipes quis de expor, a segunda etapa foi mais dinâmica com os dois time procurando ataque. E foi nessa nova postura que Ceará fez 2 a 1 para Blumenau e posteriormente Daniel fez 3 a 1, quando Tubarão, em desespero, usava o goleiro-linha.

Em seguida Rodriguinho voltou a diminuir para Tubarão: 3 a 2.

Tudo se encaminhava para o titulo de Blumenau, quando uma quinta falta em favor de Tubarão mudou o rumo da partida. Era o último segundo e a falta ocorreu milésimos de segundos antes do zerar o cronômetro. Muitos viram o cronômetro zerado e alegaram que o jogo já havia terminado antes da falta.

Um princípio de confusão entre as equipes deixaram os nervos exaltados. Na cobrança de tiro livre Passamani empatou em 3 a 3. Fim do jogo no tempo normal. Agora era jogar mais 10 minutos de prorrogação para saber que seria o campeão dos Jasc.

O jogo iniciou e no segundo tempo da prorrogação Daniel fechou o placar em 4 a 3 para Blumenau.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

Um, dois, três, quatro... Dezoito pontos! E assim Kawanni Firmino foi construindo o placar de 70 a 37 para Blumenau na final do basquete feminino contra Itajaí na tarde desta quarta-feira, 6, no ginásio Mauricio Germer em Timbó. Foi o 10º título consecutivo de Blumenau nos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc).

“Ser cestinha da partida é uma consequência. O time jogou certinho, a bola sobrou e graças a Deus eu consegui finalizar bem. E o título é o que é mais importante”. Foi desta forma, que Kawanni resumiu sua performance na partida.

Quem também estava radiante com a vitória era a armadora Bruninha. “É um trabalho de muitos anos com o professor Camargo. É um trabalho do ano inteiro. É uma competição que temos muita dedicação e conquistar um feito histórico com essas meninas é uma realização pra mim”, finalizou a campeã.

A etapa estadual dos 59º Jogos Abertos de SC é promoção do Governo de Santa Catarina, por meio da Fesporte, em parceria com as prefeituras de Timbó, Indaial e Pomerode.

Texto: Antonio Prado/Ascom Fesporte

 

Rio do Sul conquistou o troféu do ciclismo dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc)  no critério de desempate. Superou Brusque, segundo colocado. O primeiro lugar de Muriel Lohn, na prova de downhill, deu ao município do Alto Vale a vantagem no regulamento, e o título. Após empate em 62 pontos na somatória de seis etapas, o lugar mais alto no pódio da prova disputada nesta quarta-feira (dia 6) garantiu a conquista. 

Muriel estava eufórico com a dupla conquista, após ganhar sua primeira medalha nos Jogos Abertos de Santa Catarina. “Esse ouro tem um motivo a mais por ter dado o troféu de campeão geral a Rio do Sul”, avaliou, eufórico, logo após a vitória no Parque de Eventos de Pomerode. Na segunda colocação cruzou a linha de chegada Lucas Oeschler, de Jaraguá do Sul, com Bernardo Neves Cruz , de Brusque, em terceiro.

A etapa estadual dos 59º Jogos Abertos de SC é promoção do Governo de Santa Catarina, por meio da Fesporte, em parceria com as prefeituras de Timbó, Indaial e Pomerode.

Texto Olavo Moraes

Pagina 9 de 236