Segunda, 12 Dezembro 2022 22:04

Dirigentes e Fesporte debatem ferramentas de fomento Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Presidente da Fesporte, Kelvin Soares, durante o encontro com esportistas Presidente da Fesporte, Kelvin Soares, durante o encontro com esportistas Foto: Delamare Filho

Estiveram nesta segunda- feira (12/12), na sede da Fesporte, em Florianópolis, representantes de Federações com projetos de visibilidade nacional e com equipes em Ligas Nacionais, nos esportes de quadra em alto rendimento. Os questionamentos foram sobre o andamento das ferramentas de fomento do Governo do Estado. Trata-se de uma iniciativa inédita da Fesporte, que nos governos anteriores apenas organizava os eventos do calendário. Nos últimos anos, a Fundação passou a planejar  as políticas públicas de apoio ao esporte catarinense. Além de programas como o Pide(Projeto de Iniciação Esportiva Escolar) e o Bolsa atleta, foram criadas leis e ferramentas de fomento que estão em fase final de aprovação e regulamentação.

Neste momento, existem duas leis importantes tramitando no Governo do Estado, com o objetivo de fomentar o esporte em geral, mas que serão fundamentais para a manutenção de muitos projetos de Ligas Nacionais: Lei de Incentivo e Lei de Patrocínio.  Atualmente, mais de 15 projetos de Liga Nacional poderiam ser incentivados por estas leis,  só nas modalidades de voleibol, basquete, futsal e handebol. 

Os recursos de aproximadamente R$ 75 milhões

 A Lei de Incentivo foi elaborada nos moldes do PIC da cultura, já provada na Alesc, e envolve a renúncia fiscal por meio de empresas privadas. Os recursos previstos para o esporte são de aproximadamente R$ 75 milhões.  Cada projeto de Liga Nacional poderia captar até R$ 1,2 milhão, por exemplo. Já a Lei de Patrocínio prevê o repasse direto do Governo do estado, podendo alavancar  o apoio aos atletas em modalidades individuais, despesas com estruturas para  eventos esportivos, entre outros. 

“Acreditamos que já subimos a régua em matéria de investimentos, nos últimos anos. Santa Catarina é referência esportiva no país, mas pode dar um grande salto com a aprovação destas leis, levando o esporte catarinense a outro patamar”, destacou Kelvin Soares, Presidente da  Fesporte. Drean Dutra, do Handebol de Itajaí, destacou os avanços e acredita que a aprovação da lei será fundamental para os projetos de alto rendimento. “Estamos na expectativa. O Bolsa Atleta já nos ajuda muito na base. Hoje não perdemos mais atletas de base para clubes de fora do estado. No alto rendimento, podemos chegar ainda mais longe. Enfrentamos sempre adversários com investimentos muito maiores que o nosso.”, destacou Drean. No último domingo(11/12), Itajaí  sagrou-se vice-campeão da Liga Nacional de Handebol.

A Fesporte tem ouvido vários segmentos do esporte para o aperfeiçoamento dos programas já implementados, como o Bolsa Atleta. As propostas estão sendo documentadas e serão referências para políticas públicas no esporte catarinense.

 

Lido 325 vezes Última modificação em Segunda, 12 Dezembro 2022 22:10