Quarta, 08 Julho 2020 13:34

Sistema esportivo começa com criação do CED em 1992 Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Lei 8.646, de 4 de junho de 1992 cria o Conselho Estadual de Desportos Lei 8.646, de 4 de junho de 1992 cria o Conselho Estadual de Desportos Foto: Divulgação

FESPORTE 27 ANOS - PARTE 3

No primeiro ano do governo Vilson Kleinübing, a necessidade de que fosse montada uma estrutura esportiva autônoma e baseada nos três conceitos de poder que pudessem regulamentar, executar e fiscalizar. Criava-se a ideia do sistema esportivo de Santa Catarina, que foi se concretizando ao longo dos três últimos anos daquele mandato governamental. Esse processo começa, portanto, em 1992, com a criação do Conselho Estadual de Desportos (CED), que mais tarde trocaria apalavra ‘desportos’ por ‘esporte’, todavia mantendo a sigla original.

Assim, acompanhamos, nas palavras de Adalir Pecos Borsatti, na época, diretor da Diretoria de Esportes, mais um trecho dessa história:

“Eu tirava meus finais de semana, descobria onde estava o secretário da Educação, nos almoços, por exemplo, para explicar-lhe o quão complexo era o dia a dia do esporte, tratando de questões como datas, regras, regulamentos, imprensa, equipe de trabalho (na sede e eventos), finanças, conselhos, tribunais, investimentos municípios etc.

“E que nós precisaríamos um órgão com autonomia, para agilizar todo o processo do esporte SC (que era destaque em nível nacional). Que não poderíamos depender da SED para resolver questões urgentes (desde finanças até a área jurídica, entre outros).

“Nessas conversas, eu insisti e falamos em criar um Sistema Esportivo Catarinense. Executivo, Legislativo e Judiciário. Daí vinha a questão político-financeira do governo.  Analisamos em desenvolver em etapas.

“1ª etapa – em 1992, criação do CED – Conselho Estadual de Esporte. Até então tínhamos o Conselho de Representantes que basicamente só cuidava de assuntos relativos aos JASC – Jogos Abertos SC. Uma das justificativas que argumentei foi o amparo legal para pagar as despesas desses conselheiros para reuniões, encontros, eventos, etc.”

Mesmo com as amarrações burocráticas, a proposta de criação de uma fundação para a gestão esportiva catarinense ficava para o ano seguinte. O Estado precisava conter despesas, e não era possível a criação de três órgãos ao mesmo tempo. Pelas necessidades funcionais a prioridade naquele ano foi para o CED.

Acompanhe um pouco mais de nossa história. Na próxima matéria, enfim o esporte ganha a autonomia desejada com a criação da Fesporte.

Texto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte

Lido 190 vezes Última modificação em Quarta, 08 Julho 2020 13:47

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.