Prado

Nesta terça-feira, 30, o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, reuniu a equipe técnica da entidade para realizar alguns ajustes no calendário esportivo de 2021. Segundo Kelvin, as propostas serão encaminhadas na próxima segunda-feira, 5, para serem homologadas pelo Conselho Estadual de Esporte. 

“Entendemos que nossas competições podem começar assim que a pandemia e as restrições que ela nos impõe começarem a baixar. Nossa proposta é desenvolver o calendário efetivo a partir de agosto deste ano”, destacou Kelvin. 

Segundo o presidente, assim que o calendário for homologado a Fesporte fará a divulgação oficial em seus canais de comunicação (site e redes sociais).

Participaram da reunião integrantes da Diretoria de Esporte, Gerência de Esporte de Rendimento, Gerência de Esporte de Base e Inclusão e Gerência de Esporte de Participação.

Confira a entrevista com o presidente Kelvin Soares

 

Texto e Imagens: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Nesta quinta (25) e sexta-feira (26) o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, esteve em Criciúma  com integrantes da prefeitura e o colegiado de esportes da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMEREC). O encontro ocorreu no Salão Ouro Negro da Prefeitura de Criciúma.

Há cerca de uma semana Estevan Cattoni, assessor de gabinete da Fesporte, teve uma reunião similar, em Itajaí, com representantes esportivos da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (AMFRI).

Além da reunião com integrantes da AMEREC, o presidente da Fesporte se reuniu com o prefeito de Criciúma Clésio Salvaro, em que falou que pretende implantar ações de valorização do esporte como o esporte de base e escolar citando como exemplo o Programa de Iniciação Desportiva (PID), que oferecerá, de forma gratuita,  esportes  coletivos, individuais, de raquetes e de lutas para um público alvo de um milhão de crianças em diversos núcleos espalhados pelo Estado. 

Segundo Kelvin e Estevan as reuniões foram bastante positivas, pois serviram para os representantes tirarem suas dúvidas a respeito dos cuidados sanitários no esporte, em época de pandemia, baseados em decreto estadual e nota normativa da Secretaria Estadual de Saúde e também das novas ações da Fesporte a partir de 2021.

“Os encontros foram importantes, pois podemos ouvir as demandas dos municípios, falar de nossas atividades e estreitar relações, pois eles são nossos principais clientes”, destaca Kelvin.

Em Itajaí Fesporte se reuniu com representantes de oito municípios (Foto: Ascom AMFRI)

Em Criciúma estiveram presentes Carlos Sweder, presidente do Colegiado e representante  de Morro da Fumaça; Neto Ugione, presidente da Fundação Municipal de Esporte de Criciúma, além de representantes de Urussanga, Siderópolis, Nova Veneza, Içara, Forquilhinha, Orleans e Treviso.

Já em Itajaí estiveram presentes Gabriela Boff,  presidente do Colegiado da AMFRI e superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Navegantes, além dos representantes de Balneário Camboriú, Bombinhas, Itajaí, Itapema, Luiz Alves, Navegantes,  Porto Belo e também Henrique Bueno, assessor do deputado estadual Fernando Krelling.

No encontro foi discutido sobre a elaboração, entre os municípios, de um Plano de Contingência do Esporte para a retomada dos treinos. O levantamento dos espaços esportivos na região também esteve em pauta por meio do georreferenciamento esportivo, mapeamento realizado pela Fesporte para identificar a infraestrutura esportiva do Estado de Santa Catarina, com intuito de possibilitar de forma eficaz as ações de políticas públicas do governo estadual no setor esportivo. 

Presidente da Fesporte, Kelvin Soares, com o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro e sua equipe do setor do esporte (Foto: Ascom prefeitura Criciúma)

Neste sentido, o Colegiado solicitou a viabilidade da disponibilização das informações do Georreferenciamento das estruturas esportivas para à instituição, a fim de auxiliar nas ações que serão desenvolvidas pelo Colegiado.

A presidente do Colegiado da AMFRI e superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Navegantes, Gabriela Boff, destaca a importância da reunião. “Foi uma aproximação dos nossos municípios com a Fesporte e com o legislativo, com os assessores colocando os gabinetes à disposição dos municípios. Eles ouviram nossas angústias e demandas, e irão trazer as respostas e encaminhamentos em breve”, ressalta Gabriela.

Além de Itajaí e Criciúma, Kelvin pretende conhecer os demais municípios catarinenses e suas estruturas esportivas conversando com prefeitos e dirigentes municipais. A ideia é ter um mapeamento in-loco da realidade para que ações conjuntas possam ser tomadas em prol do esporte catarinense. Entre os municípios que já foram visitados constam: Joinville, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Lages,Campos Novos, Tubarão, São Ludgero, Sombrio, Criciúma e Araranguá.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

O prefeito Joares Ponticelli recebeu nesta quinta-feira (25) a visita do presidente da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) Kelvin Soares. A pauta de assuntos discutidos reuniu eventos promovidos pela própria Fesporte e a intenção de criação de um projeto de escolinha de esportes náuticos para estudantes por parte da prefeitura.

Também participaram desse encontro o diretor-presidente da Fundação Municipal de Esporte (FME) Ernani Buerger e o vice-presidente André Orlandi. Kelvin Soares colocou a Fesporte à disposição da prefeitura e fez uma série de considerações a respeito do calendário oficial de eventos e o atual momento de pandemia. Ele também apresentou o formato do programa de incentivo ao desporte junto às universidades.

Joares, por sua vez, relatou a intenção da prefeitura de Tubarão criar um projeto de escolinha de esportes náuticos para estudantes, semelhante ao projeto Navegar, após a construção de uma marina pública no Rio Tubarão sob a passarela Ângelo Zaboti. Essa obra deve ser iniciada nas próximas semanas.

Texto: Marcelo Becker/Decom/PMT

Rosamaria, da Seleção Brasileira e da Volleyball Casalmaggiore, da Itália; Karoline Tormena, Viu Mariners, do Canadá; Raquel Loff, Slavia EU Bratislava, da Eslováquia. O que essas atletas do voleibol tem em comum? Todas são crias do Projeto Voleibol Nova Trento (PVNT), criado em 1998 por Vandelina Tomasoni Ribeiro, a Vandeca. Em 2002 o projeto começou com um período de expansão ao se transformar em Associação de Pais e Amigos do Esporte Neotrentino.

Hoje o projeto atende cerca de 80 meninas entre 8 a 18 anos e está dividido nas categorias Iniciação (até 12 anos), Pré-mirim (até 13 anos), Mirim (até 14 anos), Infantil (até 16 anos) e Infanto (até 18 anos). Essas cinco categorias estão divididas em outras duas categorias específicas: Projeto Social, com a inclusão e oportunidade para todas as crianças e adolescentes da comunidade; e o Projeto Formador de Novos Talentos, que da a oportunidade para meninas de outras cidades e estados com perfil para a modalidade de voleibol para formação profissional. 

Referência para o Brasil

Passados 21 anos da iniciativa, hoje Nova Trento não se destaca apenas no campo do turismo religioso, como a cidade da Santa Paulina, mas também como referência do Brasil no voleibol feminino de base. Pelas mãos de Vandeca já foram reveladas mais de 20 jogadoras para diversas categorias da seleção brasileira. Atletas que brilharam nos eventos da Fesporte como Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc).

O trabalho é tão bem feito que chamou atenção do treinador super campeão Bernardinho e seu filho Bruninho, que encantados, aceitaram de imediato serem padrinhos do projeto. “Decidi apadrinhar esse projeto, pois sei da seriedade da Vandeca e da paixão dela por voleibol e por formar jovens atletas ou ótimos cidadãos. O esporte feito como esse projeto de Nova Trento deve ser espelho para que as pessoas enxerguem o esporte como uma ferramenta fundamental na sociedade”, destaca Bruninho.

O Projeto Nova Trento é um projeto de base, que atende meninas da comunidade e oportuniza adolescentes de outras regiões do Brasil para desenvolver um trabalho de excelência na formação de novos talentos para o voleibol brasileiro.

Nova Trento participa com destaque nas competições da Fesporte (Foto: Antonio Prado)

O início

Voltado para o lado de formação, valorizando toda a parte física das jogadoras e a rotina de treinamento, o projeto de vôlei possui uma equipe de base, a Nova Trento/TIM. O time neotrentino já formou várias atletas que alcançaram um grande patamar na modalidade, seja atuando na Superliga Brasileira de Voleibol Feminino ou até em equipes do exterior.

Mas tudo isso teve um início. Vandeca lembra que o pontapé inicial foi em 1998 ao ser  convidada para trabalhar com um grupo de meninas da cidade e aos poucos as coisas foram acontecendo. Como sempre possuiu uma boa relação com o vôlei e, inclusive, foi atleta, Vandeca dedicou boa parte de sua vida trabalhando em cima da escolinha e da equipe de Nova Trento. “Hoje o projeto existe por causa da Vandeca e a Vandeca existe por causa do projeto, uma coisa passou a se unir a outra”, diz.

A treinadora revela que a partir dos bons resultados no início da caminhada nas competições escolares da Fesporte e estaduais formatou a ideia em trazer outras meninas de várias parte dos estado e do país para compor o time de base. A vontade saiu do campo do desejo para a prática e a partir daí muitas meninas desembarcaram em Nova Trento com o desejo de que o Projeto Voleibol Nova Trento fosse o trampolim inicial para uma carreira de sucesso. 

Em 21 anos o projeto já revelou inúmeras atletas para a seleção brasileira em diversas categorias, Rosamaria (de azul) foi uma delas

Segundo Vandeca as dificuldades em se manter no esporte é evidente. Muitas vezes com pouca valorização, principalmente projetos de base, os sonhos de muitos atletas não podem ser concretizados por conta de dificuldades financeiras de seus familiares. A treinadora, que já investia muito nesta iniciativa, passou a buscar recursos. A patrocinadora master e que carrega o nome da equipe, a TIM, é uma das empresas que acreditou neste projeto de base, apesar da pouca valorização e visibilidade do atleta quando ele ainda não atingiu o ápice da carreira.

Outros parceiros também auxiliam na iniciativa esportiva como a Prefeitura de Nova Trento, Fundo da Infância e Adolescência (FIA) e a Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério da Cidadania/Secretaria Especial do Esporte, além de apoios de empresas do município.

A professora Vandeca faz questão de frisar que a parte social  do projeto é bastante valorizada, pois segundo ela, além de oportunizar a garota que sonha em ser profissional, o Voleibol Nova Trento envolve crianças e famílias. Os treinos na escolinha de iniciação são realizados de forma diferenciada, buscando incentivar a prática do esporte, ao invés de almejar um grande rendimento do atleta. Por outro lado, a parte de formação possui um trabalho direcionado, com academia e treinamentos mais específicos.

“Hoje com a pandemia estamos com nossos trabalhos restritos a poucas crianças e adolescentes, mas assim que essa realidade passar retomaremos com toda a força essa iniciativa social”, esclarece Vandeca, que além de trabalhar com a parte da escolinha, cuida do setor administrativo do PVNT, ficando o professor Marcelo Garim (com auxilio de um assistente) responsável para trabalhar o setor do rendimento. 

Professora Vandeca, a idealizadora do projeto

“Toda criança que quer praticar um esporte é recebida e não é cobrado nada. O projeto oportuniza também aquela menina que quer se tornar uma atleta de potencial. Espaço tem para todo mundo. Muitas pessoas não conseguem realizar seus sonhos por falta de oportunidade. Então, se a gente tem essa capacidade, se a gente pode dar essa oportunidade, porque não?”, questiona Vandeca.

Revelando grandes nomes

Grandes  jogadoras que desfilam seus talentos em diversas quadras do Brasil e do exterior são oriundas do Voleibol Nova Trento. A neotrentina e fenômeno do vôlei feminino, Rosamaria Montibeller, hoje jogadora da equipe italiana Volleyball Casalmaggiore, iniciou no Nova Trento/TIM e é natural da cidade. Ela coleciona diversos títulos pela Seleção Brasileira e conquistou o carinho da torcida verde e amarela. Foi vista também com bons olhos quando atuou pelo Pinheiros, Minas Tênis Clube e pelo Praia Clube, na Superliga.

“Ter iniciado no Voleibol Nova Trento fez toda a diferença no decorrer da minha carreira. Iniciei quando era apenas uma criança e todos os valores que aprendi ali aplicavam-se muito além do vôlei”, conta Rosamaria. “Nunca estivemos só para aprender técnica e tática, mas também aprendemos sobre respeito, educação e trabalho em equipe. Com certeza essa base me levou a conquistar tudo o que conquistei. Hoje em dia o projeto é reconhecido Brasil afora por todo esse diferencial. Tenho muito orgulho de ter meu nome envolvido nessa história.”, ressalta.

Orgulho também quando Vandeca lembra da participação de suas atletas nos eventos da Fesporte. “Participar de Olesc, Joguinhos e Jesc sempre é muito importante na formação da carreira das atletas, pois além de participar de competições de alto nível elas aprendem na prática todas as nuances de uma grande competição”. Finaliza.

Confira alguns títulos de Nova Trento

Jesc 12-14 anos -  5 títulos

Jesc 15-17 anos – 1 título

Campeão Olesc – 5 títulos

Campeão Joguinhos Abertos de SC – 4 títulos

Campeão brasileiro escolar 15-17 anos –  6 títulos

Campeão Sul-Americano Escolar 12 a 14 anos– 1 título

Torneio da Amizade Trentino, Itália – 1 título

Mundial Escolar, Baotou, China, 3º lugar

Algumas atletas reveladas nos últimos anos

Rosamaria Montibeller -Seleção Brasileira, Volleyball Casalmaggiore, da Itália 

Gabriella Rocha - Central - Praia Clube, MG

Karoline Tormena - Minas Tênis, MG,  Slavia EU Bratislava, da Eslováquia

Amabilie Koster – Sesi, SP 

Raque Lloff – Sesi, SP, Slavia EU Bratislava, da Eslováquia

Daniela Ceccheto – Sesi, SP

Emily Dos Santos – Pinheiros, SP

Simone Scherer - Peru

Marina Scherer - Elche Voleibol Clube, Espanha

Ana Paula Frare - Atletico Voleibol, Espanha

Gabriela Stavnetchei - Zambelli Orvieto, Itália

Fernanda Mendes, Blumenau, SC

Texto: Antonio Prado e Thiago Facchini

No dia 21 de março, celebramos o Dia Internacional da Síndrome de Down! A cada ano que passa, a voz das pessoas com a deficiência e daqueles que vivem e trabalham com elas se torna mais forte. Nós da Fesporte temos orgulho dos nossos atletas em nossas competições como Jogos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc) e Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc). Vocês são nossas inspirações.

O presidente da Fesporte, Kelvin Soares, esteve na tarde desta sexta-feira, 19, em Videira, conhecendo a infraestrutura esportiva do município visando futuras parcerias.  Soares foi recepcionado pelo prefeito  Dorival Carlos Borga e pelo superintendente da Fundação Municipal de Esportes Jefferson Fiorelli.        Consta no calendário da Fesporte a realização da etapa estadual dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina em setembro. Entre os diversos locais visitados estiveram o complexo esportivo do Parque da Uva e a pista de atletismo do complexo Sérgio Luiz Marafon.

O prefeito Dorival Borba se disse muito feliz pela visita oficial da Fesporte, lembrando que o município já sediou eventos importantes com a entidade, entre os quais Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) 15 a a 17 anos, em 2018, e a Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) em 2019.

“É claro que estamos em um momento delicado devido à pandemia da Covid 19, mas não podemos parar. Quando isso tudo passar temos que estar preparados para tudo, inclusive aos eventos esportivos. Nosso município já sediou grandes eventos da Fesporte e mostrou que tem competência para sediá-los, inclusive, quem sabe, os Jogos Abertos, que é nosso grande objetivo no futuro”, disse o prefeito.

Eventos de qualidade

Borba disse ainda que eventos esportivos não são gastos e sim investimentos. “Quando se sedia um evento da Fesporte fica um legado em equipamentos esportivos públicos que são usados por crianças, jovens e a comunidade de uma forma geral”.

Kelvin Soares, por sua vez, disse que a capacidade de Videira em sediar eventos já foi testada e aprovada. “Nossos eventos aqui foram sempre com alto grau de qualidade, sempre foram muito bem entregues. Um exemplo foi a Olesc em 2019, um evento de primeira grandeza. Por isso estamos aqui para conhecer a infraestrutura esportiva e oferecer parceria futura com a Fesporte”.

O presidente ressaltou que mesmo com a pandemia não se pode parar com o trabalho de política pública para o esporte. “Sabemos que há uma pressão muito grande na rede hospitalar, mas temos que nos preparar para quando isso passar. Uma licitação para um evento esportivo, por exemplo, não se faz em seis meses, por isso temos que nos organizar antecipadamente”.

Fortalecimento da economia local

 Para o dirigente um evento da Fesporte é mais que um evento esportivo. “Sabemos do incremento ao ISS (Imposto Sobre Serviços) municipal quando uma cidade  recebe um evento da Fesporte, ou seja, há um desenvolvimento econômico. O prefeito Dorival tem muito claro isso. Há um investimento do município, mas  há também  um retorno financeiro muito maior. Além disso há outro ganho para a sociedade: desenvolvimento social, da saúde e da educação, principalmente para crianças e adolescentes”, finalizou Kelvin Soares. 

Desde que assumiu a Fesporte, no início de fevereiro, Kelvin Soares vem visitando municípios para conhecer a infraestrutura esportiva de cada um entre os quais Joinville, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, e Lages. Já estão na rota do presidente para estes dias Campos Novos, Tubarão, São Ludgero, Criciúma e Araranguá.

Texto: Antonio Prado

Ascom Fesporte

Pagina 9 de 263