×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 328

Domingo, 11 Outubro 2015 16:53

Atleta do meio rural depende da tecnologia para treinar Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(4 votos)
Camile compete na modalidade xadrez nos Jesc, em São Miguel do Oeste. Camile compete na modalidade xadrez nos Jesc, em São Miguel do Oeste. Epa Machado/Fesporte

A oportunidade que a enxadrista Camile Luana Flach, 16, da Escola Estadual Delminda da Silveira, do município de Mondai, teve nos Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc), na etapa estadual, que ocorreu em São Miguel do Oeste, é bastante valiosa. São poucas as vezes que consegue se reunir com outros atletas presencialmente, com idades e sonhos voltados ao esporte.

Amante da modalidade xadrez, ela encontra dificuldades para treinar contra outras pessoas e usa a internet a seu favor. Reside há 25 Km do centro do município, numa comunidade rural, chamada Linha Taipa Baixa, e para se locomover até a escola, a distância é equivalente há pelo menos 1 hora de ônibus. Obstáculo que não impede a garota a correr atrás do sonho de se tornar uma grande campeã.

Motivação que já veio de casa, pois se inspira no irmão, Cauã Flach, 20, para não desanimar. Ele começou a jogar xadrez nos eventos organizados pela Fesporte e se destacou, conquistou o 3º lugar no brasileiro em 2012 e hoje é acadêmico do curso de Engenharia Nuclear no Rio de Janeiro. 

Os irmãos sempre usaram da tecnologia para buscar seus ideais. Camile estuda em período integral e não abre mãos das noites e finais de semana para aperfeiçoar a prática esportiva que escolheu. “Eu sempre treinei sozinha, sem ajuda de técnico ou orientador, o meu aliado continua sendo o computador e a internet. A rede me abre um leque de ideias, as quais me possibilita estar por dentro de sites, blogs e aplicativos onde consigo aprender. Meus treinos dependem só de mim.”

Quando participa de campeonatos, a jovem joga contra atletas que fazem parte de escolinhas, associações e recebem treinamento personalizado, o que não deixa Camile em nível técnico inferior. “Eu acredito no meu potencial e não é porque eu moro em uma comunidade rural que vou deixar meus objetivos de lado, se meu irmão conseguiu êxito eu também tenho as mesmas condições e nem penso em desistir.”

 

 

 

Assessoria de comunicação- Fesporte

Pamela Marin

(48)96192187

 

(48)96192187

Lido 2586 vezes Última modificação em Sexta, 01 Julho 2022 17:15