KELVIN NUNES SOARES

 

 

Nascido no Rio Grande do Sul e campe√£o brasileiro de basquete e atletismo juvenil, Kelvin Soares chegou a Santa Catarina em 1987. √Č Formado em Educa√ß√£o F√≠sica e Mestre em Ci√™ncias do Comportamento Humano, pela Udesc, Kelvin sempre atuou como professor em institui√ß√Ķes p√ļblicas e privadas, com destaque para o incentivo e forma√ß√£o de atletas de basquete.¬†

Com forte liga√ß√£o no esporte em Santa Catarina. O reconhecimento de Kelvin Soares no basquete vem da participa√ß√£o de mais de 12 ligas nacionais da modalidade, al√©m da atua√ß√£o como t√©cnico de diversas sele√ß√Ķes catarinenses de basquetebol entre os anos de 1993 e 2012, conquistando mais de uma centena de t√≠tulos da modalidade em √Ęmbito estadual e nacional, incluindo 22 de Joguinhos Abertos de Santa Catarina.¬†

Kelvin tem forte liga√ß√£o com os atletas de base por sua atua√ß√£o como professor em institui√ß√Ķes p√ļblicas e privadas em Joinville e pela implanta√ß√£o de in√ļmeros projetos sociais voltados para a inclus√£o, manuten√ß√£o da sa√ļde e desenvolvimento social enquanto parte da Secretaria de Esporte do munic√≠pio. Ainda na √°rea da educa√ß√£o, atua como professor universit√°rio em institui√ß√£o de ensino superior na cidade de Joinville.¬†

At√© o fim de 2020 foi integrante do Conselho Estadual de¬† Esporte de Santa Catarina, Bi√™nio 2019- 2020, exercendo a fun√ß√£o de presidente da comiss√£o de desporto de rendimento. Dentre suas atua√ß√Ķes de destaque est√£o a presid√™ncia do Basquete Joinville e a cria√ß√£o do projeto social Cesta B√°sica, que atende crian√ßas em vulnerabilidade social por meio do basquete. Kelvin tamb√©m √© professor do curso de Educa√ß√£o F√≠sica de uma institui√ß√£o de ensino superior, em Joinville.¬†¬†

Telefones:(48)3665-6110 / (48) 3665-6109

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Diretoria de Administração

Rogério Paulo de Lemos Cardoso

Telefone: (48) 3665-6115

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Diretoria de Esportes

Marcelo Marcel Franco José da Silva (Marcelo Brigadeiro)

Telefone: (48) 3665-6102

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Assessor de Gabinete

Cassiano Nunes Moreira

Telefone: (48) 3665-6107

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Consultoria Jurídica

Bernardo Linhares Marchesini

Telefone: (48) 3665-6138

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Assessoria de Comunicação

André Luiz Costa Lino

Telefones: (48) 3665-6127

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Antonio Prado (48) 3665-6150

 

 

Gerência Administrativa e Financeira

Marcelo dos Santos Machado

Telefone: (48) 3665-6114

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Gerência de Esporte de Rendimento

Samira Maria Roman Ros

Telefone: (48) 3665-6155

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Gerência de Esporte de Base e Inclusão

Josélia Teixeira

Telefone: (48) 3665-6135

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Gerência de Esporte de Participação

Wilian Scheffer Santos

Telefone: (48) 3665-6136

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Gerência de Apoio Operacional

Luiz Fernando Bezerra

Telefone: (48) 3665-6104

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Gerência de Planejamento e Controle

Patr√≠cia Alves de Ara√ļjo

Telefone: (48) 3665-6156

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Gerência de Gestão de Pessoas

Eduardo Moreira

Telefone: (48) 3665-6118

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Gerência de Tecnologia da Informação

Sandro Luis Schoninger

Telefone: (48) 3665-6149

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Gerência de Políticas e Projetos Esportivos

Jeferson Ramos Batista

Telefone: (48) 3665-6116

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Gerente de Logística de Eventos

Aline Monique

Telefone: (48) 3665-6117

E-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  

 

 

Assistente de Gabinete

Telefone: (48) 3665-6117

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Coordenador de Controle Interno e Ouvidoria

Leonardo Erwin Wojcikiewicz

Telefone: (48) 3665-6141

E-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Assistente de Gabinete

Perla Cristina Kammers da Silva Georges

Marcelo Scharf

Telefone: (48) 3665-6160

E-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Encarregado de Dados

Juliano Zimmermann

Telefone: (48) 3665-6101

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

¬†1¬ļ ‚ÄstAdalir Pecos Borsatti¬† -¬†Julho a setembro de 1993

Adalir Pecos Borsatti, √© profissional de Educa√ß√£o F√≠sica, de Marketing Esportivo e de Organiza√ß√£o de Eventos Esportivos. Foi o principal articulador e mentor da cria√ß√£o da Funda√ß√£o Catarinense de Esporte (Fesporte). Antes de a Funda√ß√£o existir, Pecos dirigiu por tr√™s anos a Diretoria de¬†Esporte (Dide) da Secretaria Estadual de Educa√ß√£o, Cultura e Esporte¬† de 1991 a 1993, no governo de Vilson Pedro Klein√ľbing. Durante os tr√™s anos √† frente da Dide, Pecos lutou pela cria√ß√£o n√£o somente da Fesporte, como tamb√©m do sistema esportivo de Santa Catarina, que inclui o Conselho Estadual de Esporte (CED)¬† e o Tribunal de Justi√ßa Desportiva (TJD).

 

Pecos tem no curr√≠culo uma longa hist√≥ria como atleta e dirigente na √°rea esportiva. Por mais de 15 anos foi atleta de v√īlei, atletismo, basquete, handebol e punhobol.

 

2¬ļ ‚Äď Jo√£o Kiyoshi Otuki -¬†1993 a 1994

Jo√£o Kiyoshi Otuki¬†esteve na dire√ß√£o da entidade durante o bi√™nio de 1993-94. Nasceu em S√£o Paulo, em 20 de julho de 1948. √Č licenciado em Educa√ß√£o F√≠sica pela Universidade Federal do Paran√° e p√≥s-graduado na Universidade Federal de Santa Catarina. Iniciou sua carreira como atleta em 1962, representando o Col√©gio Estadual de Cambar√°, na modalidade de nata√ß√£o, nos primeiros Jogos Escolares do Paran√°.¬†

Iniciou sua atividade profissional em Santa Catarina, em 1971, como docente da Escola Superior de Educação Física e Desporto de Joinville, sendo também professor de prática esportiva na Faculdade de Engenharia de Joinville da Udesc. Em 1989, assumiu a Divisão de Esportes de Joinvile e, em 1990, criou a Fundação Municipal de Esportes, da qual foi presidente até 1992, ano que venceu os Jogos Abertos, quebrando a hegemonia de 24 anos de Blumenau.

 Em 1993, trabalhou no setor de planejamento de Diretoria de Desportos do Governo do Estado, sendo coordenador da equipe que elaborou o primeiro documento da Política Estadual de Desporto. Em 1995, voltou às atividades docentes no Cefid/Udesc. De 1996 a 2001, foi comentarista esportivo na TVBV, SBT e TV Cultura, atuando também como professor e coordenador do curso de Educação Física e Esporte da Unisul. 

 

¬†3¬ļ ‚Äď Jos√© Eduardo Nunes de Souza -¬†1995 a 1998

                 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jos√© Eduardo Nunes de Souza dirigiu a entidade de 1995 at√© 23 de outubro de 1998, quando faleceu, faltando pouco mais de dois meses para terminar sua gest√£o. Zequinha, como tamb√©m era conhecido, nasceu em Ararangu√°, SC, em 21 de outubro de 1950 e concluiu o curso de Licenciatura em Educa√ß√£o F√≠sica na ent√£o Escola Superior de Educa√ß√£o F√≠sica ‚Äď Esef, hoje Cefid/Udesc, em 15 de julho de¬†1977.

Iniciou sua carreira como professor de educa√ß√£o f√≠sica em 1973 na Escola B√°sica Pedro Sim√£o, no munic√≠pio de Ermo. Sua hist√≥ria no esporte come√ßou como atleta do salto em dist√Ęncia e altura dos Jogos Escolares da Regi√£o do Vale do Ararangu√° (Jerva), em¬†1970, sendo um dos destaques da competi√ß√£o. Jos√© Eduardo Nunes presidiu a Comiss√£o Municipal de Esporte de Ararangu√° por quase 10 anos.¬†

¬†4¬ļ - Erasmo Marcelo Damiani -¬†Outubro a dezembro 1998

Erasmo Marcelo Damiani nasceu em Florianópolis, em 25 de novembro de 1965, e é formado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Começou sua carreira como preparador físico. Nesta função, trabalhou em clubes como Figueirense (1990), Avaí (1990), Joinville (1991 a 1993), Tubarão (1994) e Hercílio Luz (1994). 

Cumpria o cargo de diretor de esporte da Fesporte, quando, em decorrência do falecimento de José Eduardo Nunes de Souza, em 23 de outubro 1998, assumiu a direção-geral da Fesporte até o fim de dezembro daquele ano.  

 

5¬ļ ‚Äď Pedro Henrique D√ľcker Bastos - 1999 a 2002

       

Nascido em Florian√≥polis, em 29 de junho de 1960, Pedro Henrique D√ľcker Bastos √© formado em Administra√ß√£o de Empresas pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc). Tendo experi√™ncia como dirigente da Federa√ß√£o Catarinense de Desportos Universit√°rios, desde 1978, sobretudo como presidente (94-2000), dirigiu a Fesporte de 1999 a 2002.

Foi na gestão de Pedro Bastos que se criou a Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), a Maratona Internacional de Santa Catarina e o Fórum Internacional de Esporte, entre outros eventos. Também fez parceria com o Governo Federal  em programas importantes de cunho social como Projeto Esporte Solidário, que atendia 600 crianças na Palhoça; o Pintando a Liberdade, envolvendo detentos das penitenciárias, na produção de material esportivo, e também o Projeto Navegar, em parceria com a Marinha, em que crianças carentes praticavam esportes náuticos (remo, canoagem e vela). Além disso, criou o Esporte Contra Fome, que consistia na arrecadação de alimentos doados pelas prefeituras, atletas e comunidade, sendo distribuídos para entidades carentes do município que sediava o evento, chegando à participação de 190 entidades e 360 toneladas de alimentos arrecadados, no ano de 2002.

Criou também o Desafio das Serras, provas de ciclismo noturno nas Serras Dona Francisca e Rio do Rastro; os Jogos da Juventude Indígena; Amigos na Bola e na Escola, na modalidade de Futsal.
Em sua gest√£o ainda, o Moleque Bom de Bola passou a ser disputado entre escolas e n√£o mais entre sele√ß√Ķes municipais. Al√©m disso, foi criada a vers√£o feminina da competi√ß√£o e o Interc√Ęmbio Brasil-Chile, envolvendo os vencedores da competi√ß√£o.

Realizou os Jogos Sul-Brasileiros da Terceira Idade, em Blumenau. E em 1997, realizou em Florianópolis, os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) e, pela primeira vez, todos os participantes ficaram hospedados em hotéis. Foram 4.500 participantes hospedados na vila desportiva montada em todos os hotéis e pousadas de Canasvieiras.

Foi um dos Fundadores do Fórum Nacional dos Gestores Estaduais de Esporte e foi seu primeiro vice-presidente.

Entregou, ao final do mandato, o então abandonado Ginásio Saul Oliveira, totalmente recuperado com recursos conseguidos com o Ministério dos Esportes.

 

6¬ļ ‚Äď Jo√£o Ghizoni - 2003 a 2006

João Ghizoni esteve à frente da instituição de 2003 a 2006. Em sua gestão foi criado, em 2004, o Projeto Segundo Tempo, em parceria com o Ministério do Esporte. Já em 2005 foram criados, em sua gestão, os Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), destinados a atletas deficientes e o Circuito de Maratonas Aquáticas em parceria com a Federação Aquática de Santa Catarina.
João Ghizoni nasceu em 22 de junho 1960 na cidade de Grão-Pará (SC).  Em 1978, mudou-se para Florianópolis em busca do ensino universitário, onde cursou Ciências Contábeis na Universidade Federal de Santa Catarina.
Na sua gest√£o foi implantado, em 2005, com a parceria entre Estado e Governo Federal, o Programa Segundo Tempo, que visava promover o esporte nas escolas no contraturno escolar.

7¬ļ ‚Äď Marcelo Jos√© de Melo - Maio a agosto de 2006

Marcelo Jos√© de Melo nasceu em 19 de mar√ßo de 1967, em Florian√≥polis. Dirigiu a Fesporte durante quatro meses, de maio a agosto de 2006. √Č formado em Educa√ß√£o F√≠sica pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), com p√≥s-gradua√ß√£o em Engenharia de Produ√ß√£o.
Entre suas fun√ß√Ķes ao longo de sua carreira exerceu o cargo de diretor de eventos esportivos da Funda√ß√£o Municipal de Esportes de Florian√≥polis (1995 a 1997), coordenador Esportivo da Funda√ß√£o Casan e coordenador geral dos Jogos da Juventude (1996) e do Ver√£o Vivo (1997), ambos em Florian√≥polis. Na Fesporte, al√©m de diretor geral, exerceu os cargos de gerente de desporto de participa√ß√£o (2003 a 2004) e diretor de esporte.¬†

  

¬†8¬ļ ‚Äst Edimar de Oliveira Pinto - Agosto a dezembro de 2006

Edimar de Oliveira Pinto nasceu em Roseira, Paran√°, no dia 1¬ļ de agosto de 1951. Foi licenciado em Educa√ß√£o F√≠sica pela Universidade Federal do Paran√° e p√≥s-graduado pela Universidade Salesiana de Educa√ß√£o F√≠sica de Santa Rosa. Edinho, como era conhecido, iniciou sua carreira como jogador de futebol em 1966, como juvenil do Clube Atl√©tico Paranaense.¬†
Ao mesmo tempo. frequentava o Col√©gio Militar de Curitiba e integrava a equipe de atletismo, participando das provas de salto em dist√Ęncia e triplo.
Em 1976, contratado pela Comissão Municipal de Esportes, de Joaçaba, onde foi professor em escolinhas e também atleta na modalidade de atletismo.
Entre in√ļmeras fun√ß√Ķes, exerceu o cargo de Superintende da Funda√ß√£o de Esportes em Joa√ßaba (1987 a¬† 1994, 2005 a 2006), vereador da C√Ęmara de Joa√ßaba (1997 a 2000) e Conselheiro do¬† Conselho Estadual de Desportos, 1998, 1999 e 2006.
Em 2000 foi convidado a elaborar um projeto para a criação do curso superior da educação física na Unoesc e em 2001 iniciou o curso e foi eleito coordenador de educação física da instituição. 

 

9¬ļ ‚Äď Carioni Mess Pavanello - 2007 a 2010

Carioni Mess Pavanello chefiou a institui√ß√£o de 2007 a 2010. Foi durante a sua presid√™ncia que foram criados os Jogos Abertos da Terceira Idade de Santa Catarina (Jasti), evento destinado aos idosos do estado e realizado pela primeira vez em junho de 2008, em Chapec√≥. Cac√° Pavanello, como tamb√©m √© conhecido, nasceu em Lages, em 23 de mar√ßo de 1967, mas ainda jovem mudou-se com sua fam√≠lia para Jaragu√° do Sul. O dirigente ingressou na vida pol√≠tica em 1996, quando foi eleito vereador pela primeira vez. Depois venceu mais duas elei√ß√Ķes para vereador.

Em 2007, assumiu a presid√™ncia da Fesporte com a experi√™ncia de ter contribu√≠do por mais de 10 anos com o projeto vencedor do time de futsal da Malwee, de Jaragu√° do Sul. Em sua gest√£o √† frente Fesporte foi obrigado, por for√ßa das circunst√Ęncias, a cancelar em 2008 os Jogos Abertos, que seriam disputados no Vale do Itaja√≠ atingido pela enchente de novembro de 2008, e em 2009 eventos como Joguinhos Abertos e Olesc. Na ocasi√£o, o Estado de Santa Catarina sofria com um surto de Gripe A e atendendo uma solicita√ß√£o da Secretaria Estadual de Sa√ļde, Cac√° se viu obrigado a cancelar os eventos para evitar uma poss√≠vel contamina√ß√£o dos atletas.

 

¬†10¬ļ ‚Äď Pedro Jos√© de Oliveira Lopes - Abril a dezembro de 2010

Pedro José de Oliveira Lopes nasceu em Cachoeira do Sul, RS, em 3 de setembro de 1940. Na sua gestão foram criados os Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc).  Pedro Lopes iniciou a carreira em 1958, como narrador esportivo da Rádio Princesa em sua cidade natal. Em 1963 veio para Joinville, SC, para exercer a mesma função na Rádio Cultura. E no ano seguinte passou também a exercer a função de vice-presidente da Liga Joinvilense de Futebol. Ainda em 1964 começou sua carreira como auditor fiscal da Receita Estadual, função que exerceu até 1998, quando se aposentou. Em 1965, disputou com equipe de Futsal os Jogos Abertos de Santa Catarina em Brusque.
Paralelamente a essas atividades continuou exercendo a função de narrador esportivo em diversas rádios catarinenses como Rádio Cultura, Rádio Colombo (Joinville), Guarujá (Florianópolis) e Rádio União (Blumenau). Essas atividades levaram Pedro Lopes a ser eleito, em 1974, vice-presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de SC.

Em 1983 foi eleito presidente da Federação Catarinense de Futebol. Presidiu a entidade até 1996 e, neste mesmo ano assumiu, o cargo de diretor de Futebol da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). E, com a Seleção Brasileira, foi campeão em 1987 do torneio Reino Unido, na Inglaterra, e do Pré-Olímpico na Bolívia. A partir de 1999, Pedro Lopes assumiu a presidência da Federação das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado de Santa Catarina (Fetrancesc).

 

11¬ļ ‚Äď Adalir Pecos Borsatti - 2011 a 2013

Depois de ajudar na funda√ß√£o da Fesporte em 6 de julho de 1993, Adalir Pecos Borsatti aceitou o convite do Secret√°rio de Turismo, Cultura e Esporte, C√©sar Souza J√ļnior, para voltar a dirigir a Fesporte a partir de janeiro de 2011. √Č o 11¬ļ a dirigir a entidade. Em sua nova gest√£o, Pecos criou uma nova logomarca para a funda√ß√£o com o objetivo de rejuvenescer e modernizar a imagem da Fesporte.
Como presidente montou o projeto de readequa√ß√£o do calend√°rio de eventos da Fesporte baseado em seis programas (gest√£o de alto rendimento, esporte na escola, atletas do futuro, viva o esporte, mais esporte e paradesporto) e tr√™s segmentos (rendimento educacional e de participa√ß√£o). Em sua gest√£o inaugurou a pedra fundamental da Casa dos Esportes, que ser√° erguida anexo √† sede da Fesporte que congregar√° as federa√ß√Ķes esportivas de Santa Catarina.
 

 

12¬ļ -¬†Erivaldo Nunes Caetano J√ļnior (Vadinho) - 2013 a 2014

Erivaldo Nunes Caetano J√ļnior, conhecido como Vadinho, exerceu a fun√ß√£o de presidente da Fesporte durante o per√≠odo de 21 de mar√ßo de 2013 a 23 de julho de 2014. √Č Formado¬†Advocacia pela Universidade Regional de Blumenau. Nasceu em 8 de novembro de 1968 em Sombrio, SC, mas construiu sua carreira em Blumenau.

Na √°rea p√ļblica foi Chefe da Casa Civil do Governo¬†do Estado na gest√£o do governador Leonel Pavan, em 2010. Foi ainda diretor do Procon de Blumenau¬† de 2009 a 2010 e presidente do Clube Atl√©tico Metropolitano, de Blumenau, de 2012 a 2013.

A gest√£o de Vadinho na Fesporte foi marcada pela revitaliza√ß√£o do pr√©dio da entidade, em Florian√≥polis. Foram feitas reformas, pinturas, amplia√ß√£o de espa√ßos f√≠sicos e fomento na identidade visual da empresa com a cria√ß√£o de banners e p√īsteres esportivos espalhados pelo pr√©dio da institui√ß√£o, que deram um novo car√°ter visual para a Fesporte.

Na sua administra√ß√£o foram mantidas todas as a√ß√Ķes do calend√°rio esportivo da entidade e criadas bolas personalizadas com a marca da Fesporte e distribu√≠das em algumas cidades como kits esportivos.

  

13¬į - Marcelo Kowalski

Marcelo Kowalski √© natural de Florian√≥polis e est√° radicado h√° mais de 20 anos em Lages. Na Capital, foi presidente da Fesporte entre julho de 2014 e setembro de 2015. Antes disso foi diretor de esporte na Funda√ß√£o por seis meses. Sua gest√£o foi marcada pela parceria da Fesporte com os integradores esportivos na base, a participa√ß√£o destacada de Santa Catarina na etapa nacional das Paralimp√≠adas Escolares, em que foi campe√£ em 2014, al√©m do reconhecimento da institui√ß√£o Fesporte por entidades como Instituto Gustavo Kuerten, federa√ß√Ķes esportivas e prefeituras.¬†

¬†A√ß√Ķes como a Cria√ß√£o do Trof√©u Amigo da Fesporte (que homenageou grandes esportistas catarinenses); retomada da premia√ß√£o medalha Rodolfo Sestrem (em parceria com a Acesc, que premiou atletas-destaque dos Jasc); a realiza√ß√£o de semin√°rios regionais esportivos com dirigentes municipais (cujas propostas nortearam o calend√°rio esportivo da Fesporte para 2015) e a elabora√ß√£o antecipada do calend√°rio esportivo da Fesporte (visando √† melhor organiza√ß√£o dos munic√≠pios nos eventos esportivos estaduais) foram alguns dos atos de destaque da gest√£o Marcelo Kowalski. Nos¬†Jogos Escolares da Juventude de 2015, em Fortaleza, a delega√ß√£o catarinense teve uma apresenta√ß√£o de alto n√≠vel. A imprensa tamb√©m teve um papel fundamental na sua gest√£o, na qual a implanta√ß√£o de v√≠deos nas redes sociais colaborou para dobrar o n√ļmero recorde de visualiza√ß√Ķes apresentados em outros anos, chegando a 100 mil acessos no per√≠odo de um √ļnico evento.

Em carreira política, esteve no comando da Fundação de Esportes de Lages por seis anos, sendo o pioneiro na implantação do projeto de instalação das academias ao ar livre nas praças catarinenses. Fez carreira vencedora como jogador de futsal do extinto Besc, na Capital, e tem no currículo conquistas estaduais e também dos Jogos Abertos de Santa Catarina. 

 

14¬į - Osvaldo Juncklaus¬†¬†8 de setembro de 2015 a 20 de abril de 2016¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬† ¬†¬†

Com gradua√ß√£o em Educa√ß√£o ¬†F√≠sica pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e p√≥s-graduado em Gest√£o do Esporte pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), Osvaldo Juncklaus ingressou como presidente da Fesporte¬†no per√≠odo de 8 setembro de 2015 a 20 abril de 2016.¬†Foi atleta de basquetebol e √°rbitro da Federa√ß√£o Catarinense de Basquetebol. Participou de trinta e duas edi√ß√Ķes dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc).

Osvaldo Juncklaus, iniciou na Fesporte na função de orientador esportivo na microrregião de Tubarão, no período de 1991 e 1994. Em 1995, transferiu-se para Florianópolis para trabalhar na Gerência de Esporte de Rendimento na administração central da Fesporte, e tornou-se gerente regional Sul entre 1999 e 2002.

Juncklaus foi um dos respons√°veis pela cria√ß√£o e implanta√ß√£o do projeto vitorioso da Olesc ‚Äď Olimp√≠ada Estudantil Catarinense. Em setembro de 2015 foi convidado a assumir a presid√™ncia da Fesporte, num momento administrativo e financeiro delicado da institui√ß√£o.

Teve como marca nos oito meses que esteve √† frente da gest√£o a retomada do equil√≠brio financeiro e administrativo da Fesporte. Inovou na constru√ß√£o do calend√°rio, possibilitando a intera√ß√£o com todos os segmentos que comp√Ķem o sistema esportivo.

Entre as a√ß√Ķes internas, a Integra√ß√£o das ger√™ncias t√©cnicas, um anseio antigo da casa se concretizou de forma f√≠sica e operacional na Diretoria de Desportos.

 

15¬ļ -¬†Milton Jos√© da Cunha J√ļnior¬†20 de abril de 2016 a 10 de janeiro de 2017¬†

Professor de educa√ß√£o f√≠sica, natural de Porto Alegre e residente em Garopaba,¬†Milton Jos√© da Cunha J√ļnior foi o 15¬ļ¬†presidente da Fesporte. Ingressou no quadro efetivo do Governo do Estado em 2002. Desde ent√£o assumiu fun√ß√Ķes de professor de educa√ß√£o f√≠sica e diretor de escola. Assumiu a Fesporte em 20/4/2016.

√Č Formado em Educa√ß√£o F√≠sica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com Especializa√ß√£o em Desporto pela Escola Superior de Educa√ß√£o F√≠sica do Ex√©rcito, do Rio de Janeiro.

De 2006 a 2010,  Milton Cunha foi diretor da Escola Estadual Justina da Conceição Silva, em Imbituba. De 2010 a 2015, foi professor efetivo de Educação Física na Escola Estadual de Educação Básica Professor José Rodrigues Lopes, em Garopaba. 

Com pouco tempo no cargo da presidência procurou manter o calendário esportivo da instituição.

 

16¬ļ - Erivaldo Nunes Caetano J√ļnior (Vadinho) - 2017 a 2018

Erivaldo Nunes Caetano J√ļnior, conhecido como Vadinho, exerceu a fun√ß√£o de presidente da Fesporte pela segunda vez entre 2017 e 2018. Entre suas principais realiza√ß√Ķes no per√≠odo constam: cria√ß√£o do trof√©u transit√≥rio dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc); cria√ß√£o de novas logomarcas para os eventos da Fesporte; parceria com a iniciativa privada para apoio dos eventos esportivos e aumento das transmiss√Ķes ao vivo por meio das redes sociais.¬†

Na sua administra√ß√£o foram mantidas todas as a√ß√Ķes do calend√°rio esportivo da entidade.

 

17¬ļ Nat√°lia L√ļcia Petry - 2018

 

Nat√°lia L√ļcia Petry √© natural de Jaragu√° do Sul. √Č formada em Educa√ß√£o F√≠sica pela Escola Superior de Educa√ß√£o F√≠sica de Joinville com p√≥s- Gradua√ß√£o em Treinamento Esportivo e tamb√©m em Psicomotora pela Ferj.

Foi a primeira mulher a assumir a presidência da Fesporte. Comandou a entidade de abril a dezembro de 2018. Natália dialogou com os representantes municipais na busca de propostas para a melhoria dos regulamentos técnicos dos eventos da Fesporte; defendeu o profissional de educação física como agente fundamental na base do esporte e defendeu também o esporte escolar como ação transformadora na vida do jovem.

A 17ª presidente da Fesporte iniciou a carreira em 1975 como professora e técnica de voleibol em várias escolas de Jaraguá do Sul. Foi diretora de escolas, entre as quais a Holando Marcelino Gonçalves, sendo a primeira diretora eleita.

No município foi diretora de eventos da Fundação Municipal de Esportes (FME) entre 1993 a 1996.  No ano de 2005 assumiu como diretora de Esportes da entidade e em 2006 assumiu a presidência da Fundação Cultural de Jaraguá do Sul.

Foi eleita vereadora em 2004, sendo reeleita nos anos de 2008, 2012 e 2016, ano em que assumiu a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer de Jaragu√° do Sul.¬† Foi presidente da C√Ęmara de Vereadores em 2010 e 2015.

 

18¬ļ Rui Godinho - 2019 - 2021

 

Rui Godinho da Motta foi o 18¬ļ presidente da Fespote. Assumiu em Janeiro de 2019 ficando no cargo at√© janeiro de 2021. Entre as principais a√ß√Ķes de sua gest√£o consta a distribui√ß√£o de kits esportivos √†s escolas, repasses financeiros para reparos de estruturas esportivos em munic√≠pios afetados pelo Cilone-bomba, implanta√ß√£o do sistema braille em medalhas e p√≥dio adaptados para atletas com defici√™ncia, Corrida da Ponte, inaugura√ß√£o da pista de atletismo de Timb√≥.

Implanta√ß√£o do sistema do Georreferenciamento Esportivo de Santa Catarina, 1¬ļ Campeonato Brasileiro de Jiu-jisuo, realiza√ß√£o dos Jogos Escolares da Juventude (parceria com o Comit√™ Ol√≠mpico do Brasil), 1¬™ edi√ß√£o dos Jogos de Integra√ß√£o dos Servidores de Santa Catarina (Jisc), cria√ß√£o de novas marcas dos eventos da Fesporte, Jogos de Ver√£o, Jogos Universit√°rios Catarinenses (parceria com a Federa√ß√£o Catarinense de Desporto Universit√°rio- FCDU).

Cria√ß√£o de um protocolo sanit√°rio em √©poca da pandemia da Covid-19 para o retorno seguro das atividades esportivas, cursos on-line para profissionais de educa√ß√£o f√≠sica em parceria com as Coordenadorias Regionais de Educa√ß√£o, cria√ß√£o do Desafio de Modalidades Esportivas On-line (Modeon), Festival Escolar Dan√ßa Catarina On-line, implanta√ß√£o de uma nova divis√£o esportiva para os eventos da Fesporte passando de quatro para seis regi√Ķes.

COLABORADORES FESPORTE NOS MUNIC√ćPIOS

 

NOMEMUNIC√ćPIOCONTATO
Ari Alberto Galli Filho  Chapecó  49 9 9903-7711  
Carli Luiz Michels  Maravilha  49 9 9951-3511
Carlos Alberto Hack  Herval Do Oeste  49 9 9900-6839
Cleide Das Neves  Taió  47 9 9953-3252
Clodoaldo Damaceno Paz  Tubarão  48 9 9987-8300
Douglas Rafael Ramos  Joinville  47 9 9738-7532
Ederson Morozini  São Lourenço do Oeste    49 9 9994-5330
Juliano Graciano Vaz  Caçador  49 9 9665-8451
Roberto Carlos Marangoni  São Miguel do Oeste  49 9 9175-2208
Euclides Biazoto ¬†Crici√ļma ¬†48 9 9905-5073
Rogério Henrique Gonçalvez  Araranguá  48 9 9650-9550
Thiago Augusto Costa  Canoinhas  47 9 9197-7039
Olavo Laranjeira Telles da Silva    Brusque  47 9 9997-6640

FESPORTE  | Fundação Catarinense de Esporte

FUNDAÇÃO | 1993

LEGISLAÇÃO | Lei 9.131, de 6 de julho de 1993

PROP√ďSITO DE CRIA√á√ÉO | Organizar e desenvolver o esporte amador de Santa Catarina

GESTOR ATUAL | Kelvin Nunes Soares

ESTRUTURA PÚBLICA | Fundação, vinculada ao Gabinete do Governador

ESTRUTURA DE GESTÃO | Esporte de Rendimento, Esporte Educacional , Esporte de Participação, Esporte de Base e Inclusão

COMPONENTES DO SISTEMA | Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) e Conselho Estadual de Esportes (CED)

 
MISSÃO
Executar e facilitar a execu√ß√£o da pol√≠tica p√ļblica do esporte catarinense, atrav√©s da realiza√ß√£o de programas e projetos esportivos com gest√£o estrat√©gica focada na inova√ß√£o, pesquisa e tecnologia para o esporte, em busca da excel√™ncia esportiva e do bem-estar da popula√ß√£o de Santa Catarina

 
VISÃO
O esporte, associado √† sa√ļde, ao turismo e a cultura, e juntamente com a educa√ß√£o, dever√° impulsionar o desenvolvimento do Estado, atrav√©s do compromisso assumido com a melhoria da infraestrutura esportiva dos munic√≠pios catarinenses, assim como da qualidade de vida de toda sua popula√ß√£o, tornando a Fesporte uma refer√™ncia na gest√£o do esporte no Brasil.


VALORES
Incentivar, promover e zelar pelas atividades esportivas, de forma democr√°tica e profissional, contribuindo para o desenvolvimento sociesportivo, bem-estar e qualidade de vida dos catarinenses.


ATIVIDADES FUNCIONAIS
- Organiza√ß√£o e realiza√ß√£o dos eventos esportivos oficiais do Estado (calend√°rio anual com 10 grandes eventos ‚Äď 396 no total, entre microrregionais, regionais e estaduais)
- Desenvolvimento de programas/ projetos esportivos (estudantes, terceira idade, deficientes, comunidade, etc)
- Organiza√ß√£o e acompanhamento das delega√ß√Ķes catarinenses em eventos oficiais (nacionais e internacionais).
 

ATIVIDADES ESTRAT√ČGICAS
A√ß√Ķes e eventos:
- Que comp√Ķem e sustentam o conceito da plataforma de uma Pol√≠tica P√ļblica
- Estaduais com ‚Äúespelhamento‚ÄĚ nacional e internacional
- De escala qualitativa e quantitativa.
- Amplos, de profundidade e densidade organizacional elevados. São consistentes e inovadoras quando bem gerenciadas(os), para a cadeia social. 

ESTRUTURA F√ćSICA
- A Fesporte est√° localizada em uma √°rea de 5 mil metros quadrados no Bairro Capoeiras, na √°rea continental de Florian√≥polis, onde se situa a Casa do Esporte, complexo formado pela sede da entidade, al√©m de federa√ß√Ķes desportivas, Conselho Estadual de Esporte (CED) e Tribunal de Justi√ßa Desportiva (TJD).
 

CALEND√ĀRIO
- O calend√°rio anual da Fesporte √© composto por cerca de 396 eventos de n√≠veis microrregional, seletivo, estadual, nacional e internacional. Os eventos, que envolvem cerca de 252 mil atletas com idades a partir de 10 anos, s√£o realizados em parceria com as prefeituras, federa√ß√Ķes esportivas e entidades de classe.
 

EQUIPE
- Para atender a demanda esportiva catarinense, a Fesporte conta, além da equipe administrativa e Assessoria de Comunicação, com uma equipe técnica ligada à Diretoria de Esporte, dividindo-se em três áreas gerenciais: esporte de rendimento, esporte de participação e esporte educacional. 

 

COMPET√äNCIA DO √ďRG√ÉO

A Fundação Catarinense de Esporte (FESPORTE) tem por objetivo:

I - executar os programas, projetos e a√ß√Ķes da pol√≠tica estadual de esporte, de forma articulada com as Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional;

II - incentivar o desenvolvimento de práticas esportivas por pessoas portadoras de deficiências; e

III - exercer outras atividades relacionadas com o desporto e a educação física, compatíveis com suas finalidades. 

 

HIST√ďRIA DA FESPORTE

 

A fachada da sede da Fesporte, em Florianópolis, em 2021 (Foto: Antonio Prado)

Contando atualmente com 12 programas esportivos, que totalizam mais de 300 eventos anuais, a Fesporte envolve cerca de 250 mil atletas, nas √°reas de alto rendimento, escolar e participa√ß√£o, em que se incluem deficientes, idosos e a sociedade em geral. A institui√ß√£o cumpre um importante papel nas pol√≠ticas p√ļblicas voltadas ao desporto catarinense.

Confira a primeira parte do relato do idealizador da Fesporte e primeiro presidente, Adalir Pecos Borsatti. Aqui ele fala das primeiras movimenta√ß√Ķes que definiram a necessidade de cria√ß√£o de um √≥rg√£o importante para o nosso esporte, iniciando pela cria√ß√£o da Diretoria de Esportes (Dide) na Secretaria de Educa√ß√£o.

‚ÄúEm 1990, houve elei√ß√Ķes para o Governo do Estado, sendo eleito para Governador, o Sr. Wilson Kleinubing. O governo anterior possu√≠a 23 secretarias entre elas, a de Cultura e Esporte. O novo governador prometeu um enxugamento da estrutura governamental, diminuindo para somente 13 secretarias e com isso extinguiu a secretaria onde estava vinculada a √°rea esportiva.

“Nós, incluindo um grupo de cerca de 20 pessoas, composto de lideranças políticas (deputados estaduais) e dirigentes esportivos (Conselho de Representantes e dirigentes municipais), marcamos uma audiência com o governador eleito (novembro/90), solicitando a não extinção da Secretaria de Cultura e Esporte.

‚ÄúNesse encontro, o governador eleito solicitou ao grupo, um voto de confian√ßa da √°rea esportiva a sua desafiadora administra√ß√£o para a reforma proposta e se comprometendo que futuramente (com saneamento do estado) nova estrutura poderia ser criada. Com isso, o esporte passou a ser somente uma Diretoria de Esporte (Dide), dentro da Secretaria de Estado da Educa√ß√£o. A Funda√ß√£o Catarinense de Cultura tamb√©m foi vinculada SED criada desde 1979.‚ÄĚ

 

Fundador, Adelir Pecos, fala o que impulsionou a criação da Fesporte 

 

 

 O fundador da Fesporte, Adalir Pecos Borsatti, presidiu a instituição em 1993 e de 2011 a 2013 (Foto: Heron Queiror)

“Fato curioso: nesse encontro, perante o grupo, o governador surpreendeu (pois ninguém imaginava) me convidando (Adalir Pecos Borsatti) para dirigir o esporte de seu governo. Salientou que muitas pessoas da política e do esporte só falavam em meu nome para o esporte. Confesso que fiquei lisonjeado e surpreso, porém respondi que eu tinha compromissos, já com muitos anos de trabalho, com a empresa Sadia e Prefeitura Municipal de Concórdia. Ele respondeu: Isso a gente resolve... E o assunto ficou por isso. 

“Quando voltei para minha cidade no dia seguinte, já circulava a notícia do convite. Na sequência, fui chamado pela direção da Sadia e pelo Prefeito de Concórdia, dizendo que tinha havido contato do governador e que eu deveria assumir o cargo e me colocariam à disposição. Vim para a capital e assumi o cargo de Diretor de Desportos da SED em 15 de março de 1991.

¬†‚ÄúNesse processo, sem autonomia pr√≥pria, n√≥s depend√≠amos das decis√Ķes, burocracia e grandiosidade da SED. Tudo era muito demorado, complicado para libera√ß√Ķes, etc., e n√≥s j√° t√≠nhamos um extenso calend√°rio de eventos. O que nos favoreceu em parte foi a din√Ęmica do Secretario da Educa√ß√£o, a quem credito muitos feitos.‚ÄĚ

 

Montagem de estrutura esportiva aut√īnoma em 1992

 

No primeiro ano do governo Vilson Klein√ľbing (1991), a necessidade de que fosse montada uma estrutura esportiva aut√īnoma e baseada nos tr√™s conceitos de poder que pudessem regulamentar, executar e fiscalizar. Criava-se a ideia do sistema esportivo de Santa Catarina, que foi se concretizando ao longo dos tr√™s √ļltimos anos daquele mandato governamental. Esse processo come√ßa, portanto, em 1992, com a cria√ß√£o do Conselho Estadual de Desportos (CED), que mais tarde trocaria apalavra ‚Äėdesportos‚Äô por ‚Äėesporte‚Äô, todavia mantendo a sigla original.

Assim, acompanhamos, nas palavras de Adalir Pecos Borsatti, na época, diretor da Diretoria de Esportes, mais um trecho dessa história:

‚ÄúEu tirava meus finais de semana, descobria onde estava o secret√°rio da Educa√ß√£o, nos almo√ßos, por exemplo, para explicar-lhe o qu√£o complexo era o dia a dia do esporte, tratando de quest√Ķes como datas, regras, regulamentos, imprensa, equipe de trabalho (na sede e eventos), finan√ßas, conselhos, tribunais, investimentos munic√≠pios etc.

‚ÄúE que n√≥s precisar√≠amos um √≥rg√£o com autonomia, para agilizar todo o processo do esporte SC (que era destaque em n√≠vel nacional). Que n√£o poder√≠amos depender da SED para resolver quest√Ķes urgentes (desde finan√ßas at√© a √°rea jur√≠dica, entre outros).

“Nessas conversas, eu insisti e falamos em criar um Sistema Esportivo Catarinense. Executivo, Legislativo e Judiciário. Daí vinha a questão político-financeira do governo.  Analisamos em desenvolver em etapas.

‚Äú1¬™ etapa ‚Äď em 1992, cria√ß√£o do CED ‚Äď Conselho Estadual de Esporte. At√© ent√£o t√≠nhamos o Conselho de Representantes que basicamente s√≥ cuidava de assuntos relativos aos JASC ‚Äď Jogos Abertos SC. Uma das justificativas que argumentei foi o amparo legal para pagar as despesas desses conselheiros para reuni√Ķes, encontros, eventos, etc.‚ÄĚ

Mesmo com as amarra√ß√Ķes burocr√°ticas, a proposta de cria√ß√£o de uma funda√ß√£o para a gest√£o esportiva catarinense ficava para o ano seguinte. O Estado precisava conter despesas, e n√£o era poss√≠vel a cria√ß√£o de tr√™s √≥rg√£os ao mesmo tempo. Pelas necessidades funcionais a prioridade naquele ano foi para o CED.

 

Em 1993 é criada a Fesporte

 

Enfim, em 6 de julho de 1993, pela Lei 9.131, é criada a Fundação Catarinense de Desportos, com a sigla Fesporte, e mais tarde denominada Fundação Catarinense de Esporte. Era o segundo órgão do tríplice poder do esporte catarinense, já que o Conselho Estadual de Esporte (CED) havia sido criado um ano anos.

Veja um pouco mais dessa história no relato de Adalir Pecos Borsatti, o nome por trás da criação da Fesporte e do Sistema Esportivo Catarinense:

‚ÄúA grande sacada. Quando apresentei a minuta da cria√ß√£o do CED para o Secret√°rio da Educa√ß√£o, ele leu e disse: ‚ÄėVamos incluir mais um artigo: no prazo de 60 dias ap√≥s aprova√ß√£o deste projeto, ser√° apresentado novo projeto para cria√ß√£o de um √≥rg√£o executivo para gerenciar o esporte catarinense‚Äô. O projeto de cria√ß√£o do CED (sem encargos) foi rapidamente aprovado na Alesc [Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina] e assinado pelo Governador.

 Bandeira da Fesporte estampando a primeira marca (1993 a 2011), com o nome original, que sofreu alteração de desportos para esporte em 2008    Fofo: Divulgação

‚ÄúO novo projeto, ou seja, a cria√ß√£o da Fesporte n√£o aconteceu t√£o rapidamente, pois foi um ano depois, em 1993. Essa cria√ß√£o previa custos, por√©m utilizamos o artigo aprovado na cria√ß√£o do CED no ano anterior, e da√≠ fizemos um trabalho pol√≠tico forte na Alesc. Embora o Governo tivesse maioria na Assembl√©ia, fomos auxiliados a reunir individualmente todas as bancadas dos partidos da √©poca, para expor o projeto e sua import√Ęncia. Resultado: conseguimos 37 votos dos 40.¬†

‚ÄúEnfim, a Fesporte foi instalada em julho de 1993, da qual tive o privil√©gio de ser seu primeiro presidente. Curiosidade: no projeto da Fesporte estava previsto a cria√ß√£o da assessoria de marketing, a qual n√£o foi aprovada, j√° que esta palavra ‚Äėmarketing‚Äô n√£o constava do vocabul√°rio governamental. Da√≠ o cargo foi substitu√≠do por assessoria t√©cnica.

‚ÄúO nome-sigla Fesporte fui eu que escolhi; por√©m eu tinha uma d√ļvida: ‚Äėser√° que n√£o seria interpretada como festa?‚Äô Da√≠ pensei: ‚Äėvamos lan√ßar, se surgir problema, vamos mudar‚Äô. No entanto, at√© hoje, n√£o ouvi nenhuma cr√≠tica nesse sentido do nome. Virou uma marca de grande valor e de f√°cil pron√ļncia e de grava√ß√£o na mente das pessoas.‚ÄĚ

No ano seguinte, com a criação do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina (TJD-SC), consolidou-se o Sistema Desportivo Estadual, por intermédio da Lei 9.808, de 26 de dezembro de 1994. 

 

A consolidação da marca Fesporte

 

A abrang√™ncia dos programas esportivos promovidos pelo Estado, os resultados obtidos por atletas e equipes do esporte amador catarinense em competi√ß√Ķes nacionais e internacionais, sobretudo nas √°reas de rendimento, escolar e paradesporto, s√£o reflexos que se fortaleceram a partir da cria√ß√£o da Fesporte e da estrutura√ß√£o do Sistema Desportivo Catarinense. Neste √ļltimo cap√≠tulo da hist√≥ria da Fesporte, os eventos, o novo logo, altera√ß√£o no nome e o compromisso esportivo mais abrangente.¬†

A Fesporte nasceu vinculada à Secretaria de Educação. Em 2004, passou a vincular-se à Secretaria de Organização do Lazer, chamada posteriormente de Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte. Atualmente seu vínculo está diretamente ao Gabinete do Governador do Estado.

Os programas e eventos

Quando a gestão esportiva de Santa Catarina estava se fazia pela Coordenadoria de Desportos (COD), da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, e posteriormente pela Diretoria de Desportos (Dide), da Secretaria de Educação, o Estado já contava com importantes programas esportivos, como os Jogos Abertos de Santa Catarina (o primeiro e maior programa poliesportivo do estado), Jogos Escolares de Santa Catarina, Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Campeonato Catarinense Escolar de Futebol (Moleque Bom de Bola), Prêmio Recriar de Criatividade no Lazer e Travessia da Lagoa da Conceição.

Mas foi a partir do surgimento da Fesporte que o esporte catarinense ganhou impulso e os programas atingiram maior abrangência de atendimento. Foram criados eventos como o Festival de Dança Mário de Andrade, hoje denominado Festival Escolar Dança Catarina, criado em 1999; a Olimpíada Estudantil Catarinense, criada em 2001; Jogos Abertos Paradesportivos de SC (Parajasc), primeiro evento poliesportivo para deficientes no país, criado em 2005; os Jogos Abertos da Terceira Idade (Jasti), em 2007; os Jogos Escolares Paradesportivos de SC (Parajesc), em 2010; e os mais recentes, Jogos de Integração dos Servidores Estaduais de SC (Jisc), em 2019; Corrida da Ponte (2020) e Jogos de Verão (2020).

A atual marca da Fesporte foi criada em  2010 em comemoração aos 18 anos da instituição

Al√©m desses, outros importantes eventos fizeram parte do calend√°rio da Fesporte, como o F√≥rum Internacional de Esporte, Maratona Internacional de Santa Catarina, Jogos da Juventude Ind√≠gena e Amigos na Bola e na Escola. Tamb√©m desenvolveu programas em parceria com o Minist√©rio dos Esportes, como o Pintando a Liberdade, realizado em pres√≠dios do Estado, com a produ√ß√£o de materiais esportivos pelos detentos; o Projeto Navegar, com aulas de remo, canoagem e vela para alunos de escolas p√ļblicas; e o Projeto Segundo Tempo, que promovia a pr√°tica de esportes no contraturno escolar.

Al√©m de seus eventos pr√≥prios, a Fesporte tamb√©m estabelece parceria com eventos organizados por outras institui√ß√Ķes, como a Olimp√≠ada das Apaes, juntamente √† Federa√ß√£o das Apaes de SC; o Circuito de Maratonas Aqu√°ticas, √† Federa√ß√£o Aqu√°tica de Santa Catarina (FASC); e os Jogos Universit√°rios Catarinenses (JUCs), em parceria com a Federa√ß√£o Catarinense de Desporto Universit√°rio FCDU).

H√° ainda os eventos poliesportivos nacionais, para cujas participa√ß√Ķes a delega√ß√£o catarinense tem a total promo√ß√£o da Fesporte, como os Jogos Escolares da Juventude, nas faixas et√°rias de 12 a 14 e de 15 a 17 anos, e as Paralimp√≠adas Escolares, voltado a deficientes f√≠sicos, intelectuais e visuais. Em todos os representantes catarinenses est√£o entre os principais do pa√≠s.

As mudanças no nome e no logotipo

Algumas mudan√ßas tamb√©m aconteceram na Fesporte. Com a reforma administrativa de 2007, ocorre a altera√ß√£o do nome da institui√ß√£o, especificamente da palavra ‚Äúdesportos‚ÄĚ para ‚Äúesporte‚ÄĚ: passando a Funda√ß√£o Catarinense de Esporte, por√©m mantendo a mesma sigla (Fesporte). Em 2010, em comemora√ß√£o aos 18 anos da Fesporte, Adalir Pecos Borsatti promove um novo logotipo da institui√ß√£o.

As honrarias

Honrarias tamb√©m s√£o anualmente entregues pela Fesporte. O Trof√©u Gustavo Kuerten de Excel√™ncia no Esporte, que passou a ser promovido pela Fesporte, quando pela Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte foi extinta, no in√≠cio de 2019; e o Medalha Radialista Rodolfo Sestrem, pr√™mio dado ao melhor atleta e ao destaque de cada dos Jasc. Ambos os atos agruparam-se num √ļnico evento, organizado pela Fesporte, chamado Excel√™ncia Esportiva SC, em que se agregam tamb√©m a Comenda do M√©rito Esportivo, entregue pelo Conselho Estadual de Esporte, e a Medalha Marc√≠lio C√©sar Remos Krieger, pelo Tribunal de Justi√ßa Desportiva de SC.

Os n√ļmeros atuais

Atualmente calcula-se que a Fesporte mobilize perto de 300 mil atletas. No m√≠nimo, 272 munic√≠pios catarinenses est√£o envolvidos em pelo menos um dos eventos anuais promovidos pela institui√ß√£o, os quais somam hoje 265. Estima-se que, desde 1993, tenham passado pelos mais de 10 milh√Ķes de atletas. Dentre eles, nomes que se destacaram ou se destacam no cen√°rio brasileiro e no mundial, como Fernando Scherer, Gustavo Kuerten, Rosamaria, Marquinhos Santos, Andr√© Santos, Felipe Lu√≠s, Eduardo Costa, Carlos Shwanke, Nat√°lia Z√≠lio, Marcia Narlok, S√©rgio Galdino, Darlan Romani, entre tantos outros.

Em seus primeiros anos, a Fesporte j√° aparecia como um dos principais √≥rg√£os do Estado em m√≠dia espont√Ęnea. Com os recursos da modernidade, como site e redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram e YouTube) contabilizam-se cerca de 30 milh√Ķes de acessos, sendo s√≥ no site oficial cerca de 900 mil anuais. A m√≠dia espont√Ęnea d√° um retorno ao Estado mensurado em R$ 70 milh√Ķes. Para os munic√≠pios que sediam os eventos estaduais, ocorre um incremento de arrecada√ß√£o que varia de R$ 5 milh√Ķes a R$ 15 milh√Ķes, o que pode totalizar quase R$ 100 milh√Ķes ao ano.

Texto: Heron Queiroz Ascom Fesporte

Em vídeo Adalir Pecos Borsatti diz como criou a Fesporte  - Parte 1 

 

 

Em vídeo Adalir Pecos Borsatti diz como criou a Fesporte  - Parte 2 (final)