A Fesporte com o apoio da Federação Catarinense de Karatê realizou, nesta quinta-feira (28), o Congresso Técnico da modalidade de Karatê. O encontro reuniu a direção da Federação Catarinense de Karatê (FCK) juntamente com os diretores, técnicos e comissão organizadora da Fesporte. O objetivo foi formalizar e definir o cronograma da competição na Olesc. As competições que reúnem várias cidades do estado, também serão realizadas no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, situado na região Norte de Florianópolis. 

O evento começa nesta sexta-feira, dia 29, quando os atletas buscarão vencer nas mais diversas modalidades e categorias dentro do Karatê, que terá além das lutas, o Kata em equipe e Kata individual. As lutas serão realizadas até domingo quando serão realizadas as finais do Karatê. 

O diretor de Esportes da Fesporte, Luciano Heck, que representou o presidente Carlão, deu boas vindas a todas as delegações presentes. Na seqüência, o presidente Veroni Pereira (FCK) apresentou as considerações iniciais, orientou sobre os procedimentos a serem tomados por todos os responsáveis das delegações e afirmou estar muito feliz com a adesão dos municípios. Destaque para o número de atletas inscritos, que superou todas as expectativas.

Horário estendido

Para a realização do Karatê na Olesc (Olimpíada Estudantil Catarinense) mais de 30 municípios foram inscritos. Por isso, a previsão do início da atividade será nesta sexta, poderá se estender além do horário previsto. Já estão montados dois ‘kotos’, mas existe a possibilidade de um terceiro caso a organização considere necessário. Após a realização dos sorteios as delegações realizaram a pesagem dos atletas, e foi feita a conferência das chaves. Equipes de arbitragem e técnicos das cidades participantes realizaram uma reunião com a comissão organizadora encerrando o primeiro dia de atividades.

 

A Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), por intermédio do Governo de Santa Catarina e em parceria com a prefeitura municipal de Florianópolis, realizaram na noite de terça-feira (26) a cerimônia de abertura da 22ª edição da Olimpíada Estudantil Catarinense, a OLESC.

Esta competição reúne, em sua etapa estadual, 98 municípios e cerca de 4000 atletas de até 16 anos disputando as modalidades de: basquete, handebol, atletismo, vôlei, tênis de mesa, badminton, tênis de campo, judô, karatê, taekwondo, xadrez, ginástica artística, natação, ginástica rítmica, vôlei de praia, futsal e ciclismo.

Após os desfiles das delegações participantes, foi a vez da das autoridades mostrarem a integração na festa do esporte. Muitos ressaltaram a importância de Florianópolis voltar a sediar um evento esportivo de destaque. A última oportunidade foi há 23 anos quando sediou os Joguinhos Abertos.

Para o presidente da Fesporte, Paulão, que na cerimônia representou o Governador do Estado, Jorginho Mello, destacou a felicidade em receber a Olesc em Florianópolis. “Primeiro por ser na capital de todos os catarinenses, com seu encanto e sua magia. Pelos atletas, que gostam tanto do esporte e seguem na busca do seu melhor desempenho. E são por razões como essas que vamos trabalhar para fazer o melhor, para que esta olimpíada seja mágica e se torne a melhor de todas. Por isso desejo que façam de coração, o melhor por suas equipes. Contem com o Governo do Estado e a Fesporte, que está fazendo todo o possível para que a Olesc seja inesquecível", disse o presidente da Fesporte.

Destaques esportivos

Durante a cerimônia alguns destaques esportivos deram a sua contribuição ao evento. Exemplos com a da ginasta rítmica Luísa Matsuo, integrante da Seleção Brasileira de Conjuntos de 2009 a 2012 e o atleta do jiu-jitsu Harysson Pereira que participaram da condução da tocha. A leitura do juramento do atleta foi para a atleta Marcela Pinheiro, ela que foi bicampeã dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) entre várias outras conquistas representando a cidade de Florianópolis. E por fim, a responsabilidade por acender a pira olímpica da Olimpíada Estudantil Catarinense ficou com a atleta Juana Calder, que foi importante na conquista dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina por Florianópolis.

 

Foi assinada nesta quinta-feira (21), no gabinete do presidente da Fesporte, Paulão, a minuta de Acordo de Cooperação Técnica entre a Fundação Catarinense de Esporte e a Federação Catarinense de Desporto Escolar (FCDE). O instrumento visa à homologação e participação das equipes classificadas nos Jogos Escolares de Santa Catarina, de 12 a 14 anos, que irão representar a delegação catarinense nos Jogos Escolares Brasileiros (JEBs), ainda neste ano, na cidade de Brasília (DF).

Para o presidente da Fesporte, Paulão, "este é o momento em que um dirigente esportivo mais aguarda: o de poder dar aos atletas a honra de representar o seu Estado em uma competição nacional. Nós da Fesporte, que representamos o Governo do Estado, ficamos muito felizes em concretizar esta oportunidade, transformando sonhos em realidade". Ainda participaram do encontro, os deputados estaduais Mário Motta (PSD) e Fernando Krelling (MDB), entre outros convidados.

O presidente da FCDE, Antônio Paulo Fernandes Zytkuewisz destacou a sua felicidade em ser representante dos 216 atletas e dos 34 professores/técnicos e poder levar esta notícia tão aguardada por eles. "Este foi mais um dia importante para o esporte escolar catarinense. Com este ato, nosso Estado poderá ser representado por atletas de destaques em mais esta competição nacional", disse o dirigente.

E para o gerente de Esporte Educacional da Fesporte, Lucimar Pereira Dias, “a concretização da parceria entre a Fundação Catarinense de Esporte e a FCDE é mais um passo para o crescimento do desporto escolar. A homologação dos eventos da Fesporte, com esta representatividade junto a CBDE, demonstra mais uma vez que estamos no caminho certo. Quem sai ganhando são os alunos/atletas e o estado de Santa Catarina”, concluiu.

 

 

A cidade de Ribeirão Preto (SP) já deixou para trás as lembranças dos Jogos da Juventude. Agora é a vez de Blumenau começar a respirar o ar, pois é a sede dos jogos em 2024. A cidade paulista apresentou uma experiência incrível de convivência entre mais de 4 mil jovens atletas de até 17 anos de todo o país, e já passou a bandeira dos Jogos da Juventude para a cidade-sede em 2024.

Em cerimônia foi realizada no Centro de Convivência, no sábado (16), o diretor dos Jogos da Juventude, Kenji Saito, agradeceu a parceria da cidade de Ribeirão Preto e entregou um troféu de homenagem ao secretário de Esportes do município, Ricardo Aguiar. Depois foi a vez de passar a bandeira de Ribeirão Preto para Blumenau, que foi recebida pelas mãos do coordenador do comitê organizador local, Paulo Funke. Esta será a segunda vez que a cidade catarinense sediará uma edição dos Jogos da Juventude. 

“A primeira vez que recebemos uma edição dos Jogos da Juventude, em 2019, foi um sucesso tanto para o município, quanto para Santa Catarina e principalmente para quem teve a oportunidade de participar. Qualquer parceria que se faça com uma entidade séria como o Comitê Olímpico do Brasil é uma parceria que rende frutos e traz resultados permanentes. Por isso, temos absoluta certeza de que cinco anos depois disso teremos ainda mais êxito. Os atletas que estiverem lá vão encontrar uma estrutura ainda melhor, digna dos Jogos da Juventude", disse Paulo Funke. 

Os Jogos evoluíram

Com a passagem de bastão de Ribeirão Preto (SP) para Blumenau (SC) foi possível fazer o balanço desta edição. E a palavra que melhor define a edição foi ‘crescimento’. Foi um grande espetáculo esportivo, que movimentou 17 instalações de Ribeirão e cidades do entorno, 4.000 atletas e mais de 1.200 profissionais de staff, apoio, comissões técnicas e voluntárias.

O programa esportivo também cresceu. As novidades foram as entradas de águas abertas, esgrima, tiro com arco e triatlo, que se juntaram a outras 14 modalidades do programa esportivo dos Jogos da Juventude. O atletismo também teve novidades: pela primeira vez a marcha atlética foi disputada no evento. Assim, o programa teve águas abertas, atletismo,

badminton, basquete, ciclismo, esgrima, ginásticaartística, ginásticarítmica, handebol, judô, natação, taekwondo, tênisdemesa, tirocomarco, triatlo, ôlei de praia, voleibol e wrestling.

Quadro de medalhas 

Santa Catarina ficou na terceira colocação, com dois ouros a menos que os cariocas. O bom desempenho dos catarinenses foi puxado pela natação: foram 10 ouros na modalidade. O capitão desse resultado foi Matheus Menel com 4 ouros (100m peito, 200m peito, 200m medley e revezamento 4x100 medley). Porém foi São Paulo quem liderou o quadro de medalhas da competição com 45 ouros e 107 medalhas no total. O estado também se garantiu no pódio em 17 das 18 modalidades do programa e, logicamente, teve alguns dos maiores destaques individuais dos Jogos da Juventude. E o Rio de Janeiro ficou na segunda colocação do quadro de medalhas, ao vencer o confronto direto com Santa Catarina na decisão do basquete masculino, e chegar a 24 ouros e 65 medalhas no total. 

Determinação foi a palavra que descreveu as finais do handebol nos Jogos da Juventude Ribeirão Preto 2023. No sábado (16), o Ginásio de Esportes Docão, em Sertãozinho, palco na decisão do masculino, Santa Catarina superou São Paulo por 27 a 19 e deu o troco após ser vice para o rival no ano passado.

Na decisão masculina, Santa Catarina mostrou a força dos atletas de Itajaí e Criciúma, comandados pelo técnico Martinho Mrotskoski Neto. E o grupo só tinha um objetivo: vencer São Paulo depois da frustração da derrota na final de 2022. “A sensação é incrível. Não tivemos tantos treinos juntos, mas já temos intimidade. Conhecemos um ao outro muito bem em quadra, e o trabalho foi recompensado. Fomos ofensivos e rápidos no jogo e acho que isso foi determinante. Tivemos foco no processo e mostramos muita raça para dentro de quadra", avaliou o goleiro catarinense Jethro Zipper, de 16 anos.

Prata no Basquete

Na final masculina entre Santa Catarina e Rio de Janeiro, as duas equipes começaram com os ataques levando a melhor sobre as defesas. No entanto, o Rio passou a dominar o garrafão e se aproveitava dos rebotes para encaixar transições rápidas. Assim, os cariocas foram abrindo vantagem. Os catarinenses seguiam com dificuldade nos contragolpes e desperdiçavam as chances para tentarem uma aproximação no marcador. Assim, o jogo foi com a mesma vantagem até o final com o placar de 76 a 58.

"A gente sabia que seria uma partida muito difícil, e apear do esforço não conseguimos repetir as mesmas apresentações anteriores.  Mas estamos ficamos com a prata em uma competição tão importante e com estrutura ótima como os Jogos da Juventude", falou o capitão da equipe SC Lucas da Rosa, o Lucão. Agora, o basquete nos Jogos da Juventude volta na edição do ano que vem, em Blumenau, terra do vice-campeão.

 

Um dos destaques dos Jogos da Juventude, e que vem atraindo a atenção dos jovens atletas de Santa Catarina e outros Estados, é o Laboratório Olímpico Brasileiro. E este é um trabalho que tem o incentivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação por meio de financiamento da FINEP além de ter a parceria do Comitê Olímpico do Brasil (COB) com nove instituições de ensino e pesquisa. O principal diferencial é a proximidade física de profissionais de diferentes especialidades ligados às ciências do esporte com atletas e treinadores de alto rendimento, já que suas dependências estão localizadas no Parque Aquático Maria Lenk, coração do Centro de Treinamento Time Brasil.

"Queremos criar um banco de dados de referência, com informações detalhadas sobre os melhores atletas em idade escolar no Brasil. Com esses resultados, poderemos, em breve, oferecer aos professores de todo o país tabelas que auxiliem na detecção de novos talentos. Partimos do princípio que os atletas testados aqui são os melhores dentro de suas faixas etárias. Os dados obtidos nas avaliações demonstram um perfil populacional bastante fidedigno", explica Felipe Lucero, Supervisor de Ciência e Tecnologia Esportiva do COB.

Instalado dentro do Centro de Convivência dos Jogos da Juventude, os atletas são avaliados e monitorados por diferentes especialistas que oferecerem aos treinadores informações precisas que ajudam no planejamento das sessões de treinamento e das competições. Por este motivo, o Laboratório Olímpico apresenta um conceito inovador, que viabiliza avaliações personalizadas capazes de atender às especificidades de cada modalidade, inclusive podendo se deslocar para onde os nossos atletas estiverem.

 

A presença de avaliadores do Laboratório Olímpico garante a alta qualidade na coleta de dados, o que é um fator fundamental para esse tipo de estudo. O grupo selecionado para os Jogos da Juventude é composto por 11 profissionais e cinco voluntários, que atuam em funções de apoio à operação. Todos os testes aplicados no Centro de Avaliação e Monitoramento têm seus protocolos validados internacionalmente e são facilmente adaptados para serem desenvolvidos nos estados com recursos básicos.

"Temos preparadores físicos, analistas de desempenho, analistas de dados e biomecânicos, todos pós-graduados em suas especialidades e com vasta experiência no trato com atletas de alto rendimento, sejam jovens ou adultos. Alguns destes profissionais já estão neste trabalho há mais de 10 anos, coletando as informações para detectar atletas de elite. Para os Jogos da Juventude do próximo ano, que acontecerão em Blumenau (SC), nós estaremos com este laboratório instalado lá. Estaremos certos que poderemos descobrir os perfis de novos campeões", completou Lucero.

Laboratório Olímpico 

O Laboratório tem como base três áreas de conhecimento:

• Preparação Esportiva: Preparação Física, Fisiologia, Biomecânica e Instalações Esportivas.

• Saúde do Atleta: Medicina, Farmácia, Fisioterapia, Massoterapia, Nutrição, Preparação Mental (Psicologia e Coaching).

• Ciência e Tecnologia Esportiva: Análise Técnico-Esportiva, Gestão do Conhecimento, Tecnologia Esportiva e Gestão Técnico-Científica.

 

Pagina 7 de 9