Atleta olímpico e campeão mundial abriu mão de hotel e preferiu dividir alojamento com os atletas de Concórdia e depois foi medalha de ouro no arremesso do peso

Campeão mundial indoor em 2022, Darlan Romani, que foi quarto colocado nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano passado, abriu mão do conforto de um hotel e da casa do amigo, Luís Henrique Schneider para ficar no alojamento de Concórdia. O ídolo da nova geração do atletismo deu autógrafos e posou para fotos. Não bateu recorde na prova do arremesso do peso, mas foi medalha de ouro com 19,61m, seguido de Willian Dourado, de São José, com 18,70m. O medalhista de bronze foi Maurício Machiy, de Tubarão, com 17,59.

Quando chegou no domingo à noite em Rio do Sul, Darlan foi direto para o Colégio Roberto Machado. “A molecada vinha  perguntar se podia fazer fotos”. Os calouros em Jasc, que o atleta define como “marinheiros”, ficaram encarregados de levar as malas para a respectiva sala de aula, local em que o atleta olímpico iria dormir. “É muito importante ficar com o pessoal, recordando da época que iniciei”, destaca o arremessador. 

Darlan Ronani venceu a prova do arremesso do peso (Foto: Alessandro Koizume/Fesporte)

Darlan foi reconhecido quando esteve num supermercado. Não faltaram os pedidos de selfie. “No dia da prova (terça-feira) levei mais de 10 minutos para chegar no estádio”, disse. Ele já se acostumou com esse assédio, mas faz questão de ressaltar que é uma pessoa normal. Depois da sua prova foi a Ibirama e jantou com Luis Henrique e a mulher Luna. No sábado, em Bragança Paulista (SP), tem o “chá de bebê”. Na oportunidade a filha Alice vai saber qual o sexo do irmão (a).

O resultado obtido em Rio do Sul – ouro com a marca 19m61 no arremesso do peso –  foi considerado normal, apesar da meta de todo o atleta é bater o recorde. Darlan explicou que está na segunda semana de treinos (pré-temporada) para 2023. Terá diversas competições pela frente, como os Jogos Sul-americanos, prova que é o atual recordista com 22,66m e o próprio mundial.

Texto: Orlando Pereira

 

O município de São José entrou de vez na briga pelo título dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) 2022. Sede dos Jasc no ano passado, quando ficou com o vice-campeonato, tem feito bonito em Rio do Sul, superando neste momento, equipes tradicionais como Blumenau, Joinville e Florianópolis, na pontuação geral. 

As conquistas de ontem no atletismo, com as vitórias no masculino e feminino, deixaram o município da Grande Florianópolis, na segunda posição geral dos Jasc. Na abertura do sexto dia de disputas dos jogos, 22 pontos separam São José de Itajaí que está na frente na pontuação geral. 

Com 34 medalhas de ouro, São José ainda lidera o quadro de medalhas. Não será fácil, mas o já podemos dizer que São José consolida em Rio do Sul a condição de ser uma das grandes potências do esporte catarinense. A força dos municípios mais tradicionais costuma ser determinante nos últimos dias, com o fechamento das modalidades coletivas.

De qualquer forma, a segunda metade dos Jasc promete ser emocionante, com Florianópolis, Itajaí, Joinville e a sempre favorita Blumenau, disputando cada troféu dos Jogos Abertos de Rio do Sul, com garra e determinação.

Eis os sete títulos de São José até momento

No masculino

Atletismo

Taekwondo

Vôlei de praia

No Feminino

Atletismo

Jiu-jitsu

Taekwondo

Triatlon.

 

Um jogo em que prevaleceu a superioridade técnica sobre o adversário. Assim pode-se definir o título de Blumenau diante de Brusque na decisão do basquete masculino dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) nesta quarta-feira, 16, em Rio do Sul.

O placar de 70 a 51 para os blumenauenses mostra bem a diferença entre as equipes. Foi o terceiro título consecutivo de Blumenau nos Jasc.

Para o armador Gustavo, a conquista pelos blumenauenses se deu devido a junção da base do time com novos  jogadores experientes que foram contratados. Mas admitiu que a jornada inicial não foi somente flores.

“No início foi difícil porque perdemos uma partida na fase de grupos, mas ao longo da competição mostramos que somos uma equipe forte e unida, resiliente, por isso conseguimos crescer dentro do torneio até a final”, destacou o meio armador campeão.

Joinville fechou a competição em terceiro lugar.

A etapa estadual da 61ª edição dos Jasc é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a o município de Rio do Sul.

 

 

Após seis dias de competições em Rio do Sul, o município de Itajaí continua na liderança da etapa estadual da 61ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) com 124 pontos, seguido por São José, em segundo lugar, com 102 e em terceiro Blumenau, 96.

Os itajaienses tiveram boa performance, na terça-feira, 15,  no atletismo masculino,  com o vice-campeonato da modalidade.

Confira como está a classificação no período da manhã desta quarta-feira, dia 16.

1 – Itajaí – 124 pontos

2 – São José – 102 pontos

3 – Blumenau – 96 pontos

4 – Florianópolis – 74 pontos

5 – Balneário Camboriú –  43 pontos 

“O campeão voltou! O campeão voltou...ôôôôô!” foi com gritos eufóricos que os atletas de São José comemoraram o titulo de campeão geral do atletismo no masculino e feminino da 61ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) na noite desta terça-feira, 15, em Rio do Sul. O grito era um desabafo de alivio, já que os josefenses não conseguiram o titulo da modalidade no masculino, em 2021, quando sediaram  em casa a competição.

No masculino foram 263 pontos conquistados depois de 19 medalhas, sendo 8  de ouro, 6 de prata e 5 de bronze. Itajaí fechou o pódio em segundo lugar com 252 pontos com 18 medalhas, sendo 8 de ouro, 6 de prata e 4 de bronze. Por fim, Blumenau ficou na terceira colocação geral com 130 pontos, conquistando 7 medalhas, sendo 2 de ouro, 4 de prata e  uma de bronze.

Já no feminino São José foi soberano ao somar 248 pontos, contra os 154 pontos de Joinville, em segundo lugar com 154. Balneário Camboriú terminou a competição em terceiro lugar com 139 pontos.

As josefenses conquistaram 19 medalhas, sendo 7 de ouro, 7 de prata e 7 de bronze. As joinvilenses, por sua vez, conseguiram 9 medalhas: 3 de ouro, 2 de prata e  4 de Bronze. Balneário Camboriu finalizou sua participação em terceiro lugar com 10 medalhas:  3 de ouro, 3 de prata e 4 de bronze, mas perdeu a segunda colocação no critério desempate, já que teve dois quarto lugares contra 4 de Joinville.

Os destaques do último dia do atletismo foram os recordes da campeã brasileira e bronze no mundial de atletismo Letícia Oro, de Joinville, no salto em distância, com a marca de 6,40 metros, e Welitton Fernandes, de São José, no lançamento do disco, que cravou 55m83cm. Os dois foram escolhidos os melhores atletas do atletismo por uma comissão julgadora formada por treinadores.

 A etapa estadual dos Jasc é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com o município de Rio do Sul.

 

Depois de ser campeão em Lima, no Peru, na Copa das Américas,  recentemente, que garantiu vaga para o Brasil na Olimpíada Francesa, Philipe Chateaubrian chegou para os Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) em Rio do Sul como um dos favoritos ao título da Pistola Ar com a equipe de Rio do Sul.

Mas ao iniciar a competição tinha ao seu lado como adversários atletas de peso como o medalhista olímpico de bronze Felipe Wu, disputando por Chapecó. Ao final do torneio Wu faturou a medalha de ouro e seu parceiro de equipe,  Adalto da Silveira, a prata.  Chateaubrian fechou o pódio com a medalha de prata.

Por equipe Chapecó também levou o primeiro lugar ao somar 1.689 pontos, seguida por Rio do Sul, com 1.687 e Caçador 1.668 pontos. Além de Wu e Adalto da Silveira, o time chapecoense formou também com Claudinei Pacheco e Stênio Yamamoto. Já Rio do Sul foi formado com  Júlio Almeida, Philpe Chateaubrian , Jorge Costa e Vladmir da Silveira. Por Caçador atiraram Gustavo Mafessoni, Maiccon Borgatto, Ramides Voigt e Felipe Bertella

Felipe Wu, bi-campeão dos Jogos Abertos (574 pontos na classificação), fez um sacrifício muito grande para competir em Rio do Sul. “O desgaste foi enorme, a disputa equilibrada me desgastou muito porque viajei dez horas de carro de São Paulo até aqui vindo de Lima”. Lá ele disputou a Copa das Américas, onde foi campeão da Pistola Standard.

 

Pagina 4 de 270