A primeira rodada da etapa estadual do 1º Campeonato Catarinense Escolar de Futebol - Moleque Bom de Bola, nesta quarta-feira, 13, foi bem movimentada em Videira. 16 jogos, incluindo masculino e feminino, movimentaram o primeiro dia de competição com destaque para duas goleadas.

No masculino a Escola Estadual Santa Teresinha, de Brusque, mostrou sua superioridade técnica em campo e fez 4x1 sobre a Escola Estadual Luiz Davet, de Major Vieira. 

Já no feminino o destaque do dia foi a goleada de 6x1 da Escola Estadual Vidal Ramos, de Concórdia, sobre as meninas da Escola Estadual Dr. Guilherme J. Missem, de São Miguel do Oeste. 

Mas a rodada não foi marcada apenas por goleadas, já que o equilíbrio entre competidores também esteve em campo. No masculino, por exemplo, o jogo entre Colégio Super Incentivo, de Biguaçu, e Escola Estadual Walter Fontana, de Concórdia, teve oito gols. Melhor para os biguaçuenses que venceram a partida por 5x3 no  Estádio da Aparecida.

Entre as mulheres o jogo mais equilibrado da primeira rodada marcou a vitória da Escola Estadual Frei Manoel Phillipi, de Imbuia, por 3x2, sobre as meninas da Escola Estadual Hélio Wasun, do município Sul Brasil.

As competições do Moleque Bom de Bola em Videira prosseguem até domingo, quando serão definidos os campeões. O campeonato é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com o município de Videira.

 

 A 61ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) terminou neste domingo, 20, em Rio do Sul, com Itajaí comemorando o título de campeão geral da competição. É o quarto título dos itajaienses na história, já que venceram as edições de 2014, 2015 e 2017.

Para chegar o tão cobiçado troféu os itajaienses somaram 225 pontos, fruto principalmente dos títulos, no masculino, da  ginástica artística, jiu-jitsu, tênis, triatlon, vôlei de praia e os títulos do feminino da bocha, voleibol e xadrez. No último dia de competição, neste domingo, Itajaí foi campeão no voleibol e xadrez, ambos no feminino.

Blumenau fechou a competição em segundo lugar com 183 pontos, seguido de São José, em terceiro, com 164 pontos. Depois vem Florianópolis, em quarto, com 129; Chapecó, em quinto, com 108; e Rio do Sul, em sexto lugar na classificação geral dos Jasc com 77 pontos.

Um dos pontos altos da cerimônia foi a presença dos familiares de Simão Carione, que deu o nome ao troféu de campeão geral. Compareceram os filhos Marcelo, Márcio e Ana Lúcia Carione, além da neta Mariana Nunes. Carione era um desportista funcionário da Fesporte, além de comendador esportivo, que faleceu em julho. Ele foi responsável por idéias para a implantação de regulamentos da Fesporte e implantação do controle de inscrições.

Em sua mensagem a vice-prefeita de Rio do Sul, Carla Bastos Miguel, disse que foi um privilégio sediar os Jasc. “Na competição vimos jogos emocionantes e contagiantes e muita superação em quadra e vimos que o esporte é transformador. Com o esporte pudemos dividir os mesmos sonhos. Muito obrigado a todos”, destacou.

Para Everton Veiga, presidente da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (FMEL) de Itajaí, a conquista dos Jasc foi o resultado de um trabalho intenso realizado desde o ano passado pela fundação. “Estamos felizes com essa conquista. Ano passado ficamos em quarto lugar. Mexemos algumas peças no nosso time e conseguimos fazer uma mescla com nossos atletas de base. Depois veio o comprometimento dos atletas, aliado ao investimento que fizemos no grupo. A junção de tudo isso desencadeou no nosso título”.

Ao fazer um balanço da competição, o coordenador geral dos Jasc, Juliano Vaz, disse que a Fesporte está feliz pelo resultado dos Jogos, pois foi a edição com maior número de atletas dos últimos anos. “Essa edição em Rio do Sul se destacou também pela qualidade técnica. Muitos campeões mundiais, atletas olímpicos participaram dos Jasc  e permitiu, assim como a grande participação, que fosse umas das edições de maior índice técnico dos últimos 10 anos”, destacou Vaz, que elogiou o comprometimento do município de Rio do Sul em fazer uma grande competição em parceria com a Fesporte.

A etapa estadual dos Jasc em de Rio do Sul teve início dia 10 de novembro com a participação de 6.500 atletas de 115 municípios disputando 46 troféus. A competição foi uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Rio do Sul. 

 Confira todos os campeões por modalidade

Atletismo masculino: São José

Atletismo feminino: São José

Basquete masculino: Blumenau

Basquete feminino: Blumenau

Ciclismo masculino: Rio do Sul

Ciclismo feminino: Rio do Sul

Bocha masculino: Caçador

Bocha feminino: Itajaí

Bolão 16 masculino: Blumenau

Bolão 16 feminino: Florianópolis

Bolão 23 masculino: Blumenau

Bolão 23 feminino: Rio do Sul

Futebol feminino: Caçador

Futsal masculino: Jaraguá do Sul

Futsal feminino: Lages

Ginástica artística masculino: Itajaí

Ginástica artística feminino: Florianópolis

Ginástica rítmica: Florianópolis

Handebol masculino: São José

Handebol feminino: Concórdia

Jiu-jitsu masculino: Itajaí

Jiu-jitsu feminino: São José

Judô masculino: São José

Judô feminino: São José

Natação masculino: Itajaí 

Natação feminino: Joinville

Punhobol: Florianópolis

Remo masculino: Florianópolis

Remo feminino: Florianópolis

Taekwondo masculino: São José

Taekwondo feminino: São José

Tênis masculino: Itajaí

Tênis de mesa masculino: Chapecó

Tênis de mesa feminino: Chapecó

Tiro ao Prato: Tubarão

Tiro armas curtas: Chapecó

Tiro armas longas: Timbó

Triatlon masculino: Itajaí

Triatlon feminino: São José

Karatê masculino: Tubarão

Karatê feminino: Tubarão

Vôlei de praia masculino: Itajaí

Vôlei de praia feminino: São José

Voleibol masculino: Blumenau

Voleibol feminino: Itajaí

Xadrez masculino: Joaçaba

Xadrez feminino: Itajaí

Hoje, 20 de Novembro, é o Dia da Consciência Negra. A data foi criada em homenagem ao Zumbi dos Palmares e nos lembra sobre a importância da luta contra o racismo e a valorização da raça negra. Novembro também é o mês da consciência negra. A Fesporteentende que o esporte é uma ferramenta importante nessa luta contra a discriminação racial. Foi também, por meio do esporte, que muitos negros tiveram a oportunidade de mostrar o seu valor, muitas vezes negada pela sociedade, ao longo dos tempos. Abaixo, registramos alguns personagens importantes do esporte catarinense que representam a consciência negra e a luta por um mundo melhor.

 

ENALDO BATISTA, ÁRBITRO DE BASQUETE

Enaldo Batista de Souza representa o Basquete e a nossa arbitragem. Um vencedor dentro e fora das quadras. Referência nacional em arbitragem, além de ser atleta, técnico e dirigente esportivo. Ele destaca a luta dos negros para alcançar postos de destaque na vida, diz que já viu muitas injustiças ao longo dos 46 anos de carreira, mas prefere guardar no coração as boas lembranças. “Temos todas as qualidades para vencer na vida em pé de igualdade, mesmo sabendo que não é fácil”, destaca Enaldo.

 Enaldo Batista, árbitro de basquete

 

JOSÉ ACÁCIO PEPE, EX-ÁRBITRO DE FUTSAL

José Acácio dos Santos, o Pepe, é uma lenda do esporte. Comendador do esporte catarinense, árbitro de futsal e representante do quadro de servidores públicos da Fesporte. Pepe, criado no Morro do Mocotó, em Florianópolis, por duas mães adotivas, venceu as barreiras de tempos em que havia muita tolerância ao racismo e quando certas atitudes nem eram consideradas racistas. Tempos em que algumas pessoas se divertiam com frases racistas proferidas a um árbitro negro, em tom de “brincadeira”, por exemplo.Vida de luta e dedicação ao esporte. Venceu, sendo reconhecido como um dos melhores árbitros de Futsal do Brasil e servidor público respeitado. Está trabalhando nos Jasc de Rio do Sul, aos 72 anos de idade.

José Acácio, Pepe, ex-árbitro de futsal

 

ALTAIR VERAS, TREINADOR E EX-ATLETA DE FUTSAL

Altair Veras é técnico de Futsal, representa os nossos treinadores. Craque de Futsal com currículo internacional. Jogou na Espanha e na Itália, tendo a oportunidade de morar nos dois países, graças ao esporte. Uma bagagem cultural que levou para vida.

Altair Veras

 

MARIANA OLIVEIRA, ATLETA DO ATLETISMO

Mariana de Oliveira Muller é atleta, na modalidade onde os maiores ícones mundiais são negros, o atletismo. Quem não se lembra das 4 medalhas do americano Jesse Owens, na então nazista Berlim, no nem tão distante ano de 1936... Conquistas que inspiraram muitos brasileiros e ajudaram a forjar uma geração de medalhistas olímpicos como João do Pulo, Joaquim Cruz, Ademar Ferreira da Silva, entre outros. Marianaé reconhecida nacionalmente no atletismo, além deser medalhista dos JASC no salto triplo. 

Percorreu todo o caminho da base no esporte catarinense, tendo disputado Olimpíadas Estudantis e Joguinhos Abertos. Filha da atleta e treinadora do paradesporto Cristiane Müller, possui vários tios e primos atletas. “O atletismo é um pilar muito importante em nossa família nos ensinou a ter persistência, determinação, disciplina, garra e coragem para superar os obstáculos que a vida nos impõe”, destacou Mariana.

Ainda no atletismo, uma atleta referência: Magnólia Correia, com 39 medalhas dos JASC nos arremessos de peso, disco e dardo. Recordista dos jogos abertos, no arremesso de disco, por 30 anos. Também é treinadora e formadora de atletas, muitos deles negros como ela.

Mariana de Oliveira, atletismo

 

KELVIN SOARES, PRESIDENTE DA FESPORTE

Para fechar, não podemos deixar de falar que a Fesporte é comandada por um negro, o único do atual colegiado estadual. No basquete jogava fácil, no atletismo era rápido. Bi campeão brasileiro juvenil nas duas modalidades. Fora das quadras, teve que trabalhar, estudar e correr dobrado para conquistar o respeito e reconhecimento das pessoas.

”Nos olham diferente num primeiro momento. A barreira muitas vezes só é quebrada depois de muita conversa e pertinência nos assuntos. O sucesso de um negro em cargos de comando também incomoda algumas pessoas e nos isola em certos momentos”, desabafou Kelvin. Tudo isso no Esporte, onde a presença de negros é comum. Imaginem em outras áreas? No caso de Kelvin Soares, o reconhecimento veio através do esporte.

Foi dirigente esportivo em Joinville, maior cidade de SC, e hoje comanda as políticas públicas do esporte catarinense. Criou programas como o Bolsa Atleta, o PIDE(iniciação esportiva escolar), além da busca incansável por mais recursos e leis de fomento para o esporte. Ele entende que as lições do esporte são importantes para o debate da consciência negra. “No esporte todos são iguais e precisam respeitar as mesmas regras. Mas sabemos que na vida nem sempre é assim. Precisamos ter essa consciência e lutar contra qualquer tipo de preconceito, especialmente o racial que talvez seja o mais cruel de todos”, destacou Kelvin.

 Kelvin Soares, presidente da Fesporte

 

Time que se preze sempre tem um grande jogador. No caso do time de bocha de Itajaí nos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) em Rio do Sul, a equipe peixeira tem, no caso, uma grande 'bocheira'. E não é uma jogadora qualquer. Trata-se de uma campeã mundial da modalidade que atende pelo nome de Taísa Zarpelon,18 anos.

Taísa ajudou a Itajaí sagrar-se campeã da bocha, neste sábado, 19, na cancha  do Clube Caça e Tiro Dias Velho após vencer na final Chapecó por 2 a 1 depois das disputas por trio, individual e dupla.

“Estou muito feliz com essa vitória. Estou participando dos Jasc pela primeira vez e percebi que o nível da competição é muito forte. É uma das mais fortes do Brasil”, disse a campeã mundial, Taísa depois de se jogar na cancha e comemorar efusivamente o título com as colegas de equipe.

O time de Itajaí, além de Taísa, formou com Alcione Collione, Cristiane Scotti, Diva Sebenelo, Ilga Giacomini, Juceli dos Santos e Jussara Saretto.

Já equipe de Chapecó formou com Ana Martins, Eliane de Vargas, Lurdete Hilha, Neusa de Oliveira, Noeli Dalla Corte e Thays Machado.

A etapa estadual dos Jasc é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte em parceria com o município de São José.

 

A natação dos Jogos Abertos de Catarina (Jasc) em  Rio do Sul é uma das modalidades com maior número de “estrelados”, aqueles atletas que participaram de competições internacionais pela seleção brasileira, incluindo Olimpíadas. Até a manhã deste sábado 19, três recordes haviam sido batidos.

O primeiro deles na quinta-feira,17, nos 4x100 feminino, de Itajaí, com Graciele Herman (Olimpíada 2016), Natália de Luccas, Alessandra Marchioro e Thais Xavier. Tempo de 03.51.69.

Daynara de Paula, de Jaraguá do Sul, bateu dois recordes nesta sexta, 18, e na mesma prova, os 100 metros borboleta. O primeiro foi pela manhã, nas eliminatórias, com 1.00.59. À tarde ela baixou o tempo para 1.00.15. A natação termina neste sábado. Com a disputa das últimas dez provas.

Após a disputa das duas primeiras etapas, na piscina do Esporte Clube Concórdia, Joinville lidera no feminino com 104 pontos, Tubarão está em segundo com 82 e Itajaí em terceiro com 79 pontos. 

No masculino Itajaí está em primeiro lugar, com 111 pontos, Navegantes em segundo com 72 e Tubarão em terceiro com 70 pontos.

A etapa estadual da 61ª edição dos Jasc é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por intermédio da Fesporte, em parceria com a o município de Rio do Sul.

 

Lucas Eduardo Borba, de Rio do Sul venceu o downhill, quarta prova da modalidade ciclismo dos Jogos Abertos, disputada na pista de Apiúna, com 1.800 metros no total de percurso, 400 de descida. Lucas fez o tempo de 2min48s.768. Em segundo chegou Lucas Oeschler, de Jaraguá do Sul, 2min50s.667, e em terceiro outro atleta de Rio do Sul, Ronerto Jurk, com 2.55.774.

O campeão recebe carinho da mãe Clarete (Foto: Nataniel Jacomozzi)

Os resultados desta prova, disputada só no masculino, deram à equipe rio-sulense a primeira colocação, com 66 pontos, superando Brusque com 51, um ponto apenas a frente de Florianópolis. Na sequência, até a sexta colocação, valendo pontos para o troféu do ciclismo masculino, estão Jaraguá do Sul (27), Itapema (23),  e Joinville (20). No feminino a liderança é de Florianópolis. A quinta prova Marathon XCM, será disputada amanhã, na rodovia Lauro Pamplona P33. 

 

Pagina 2 de 270